Bruno Venturini, testemunha da misericórdia

 
Na manhã de hoje, 2 de agosto, faleceu Bruno Venturini, um dos focolarinos do primeiro grupo. O funeral será amanhã, dia 3 de agosto, no Centro Internacional de Castel Gandolfo.

BrunoVenturini_a«Para muitas pessoas foi um verdadeiro testemunho da misericórdia de Deus – escreve Maria Voce aos membros do Movimento – que agora, certamente, experimenta em plenitude».

Nascido em Pistoia (Itália), no dia 8 de setembro de 1926, teve contato com o Movimento nascente em dezembro de 1949, por ocasião de uma visita de Graziella De Luca – uma das primeiras focolarinas – à sua cidade, para encontrar Pasquale Foresi.

Foi ordenado sacerdote em 1978 e recobriu muitas funções no Movimento, mas “uma das maiores graças que tive – ele afirmou – foi a de compartilhar a responsabilidade pelo aspecto da Economia e do Trabalho, por mais de 30 anos, com Gioisi Guella, uma pessoa excepcional; e experimentar a constante intervenção da Providência, que fazia-me sentir que estamos nas mãos de Deus”.

ChiaraLubich_BrunoVenturini
Bruno Venturini (terceiro à direita) esteve sempre muito próximo a Chiara Lubich.

Esteve sempre muito próximo a Chiara Lubich, especialmente nos últimos anos de sua vida, quando Bruno celebrava a Missa, todas as manhãs, na capela da casa de Chiara. Uma experiência que o levou “a uma nova intimidade com Jesus”, como confidenciou a alguém.

Bruno possuía uma alma grande, capaz de acolher e escutar qualquer pessoa até o fim, com um coração rico de misericórdia. Esta sua característica foi evidenciada pela presidente dos Focolares ao indicar a concomitância da sua morte com o “dia do perdão, em Assis”.

O funeral será amanhã, 3 de agosto, no Centro Internacional de Castel Gandolfo.

Regras(500)

 

Veja também