Tempo de aprofundamento, oração e partilha: o Global Christian Forum se reuniu em Gana para construir e promover um diálogo “de coração”.

Ocorreu em abril o quarto encontro internacional do Global Christian Forum, em Acra, capital de Gana. O fórum reuniu cerca de 250 pessoas provenientes de mais de 50 países, representantes de várias Igrejas e de redes e organizações eclesiais globais.

O evento ocorre cada vez em uma cidade e em um continente diferente. Também estavam presentes em Gana quatro membros do Movimento dos Focolares.

Juntamente com o Conselho Mundial das Igrejas, o Global Christian Forum é, talvez, a única outra plataforma por meio da qual se visa promover a unidade entre as Igrejas em uma escala global. Fundado em 1998, tem o objetivo de promover um diálogo com o vasto mundo das Igrejas pentecostais e “Igrejas livres”, cuja maior parte não é afiliada ao Conselho Mundial das Igrejas. A única forma possível foi mirar em um diálogo não-teológico, mas “de coração”. Como explicou em Gana o atual secretário geral, Casely Essamuah, que é ganês: “É um espaço para um encontro profundo de fé. Aprendemos assim a descobrir a riqueza de Cristo”, afirmou.

É central nesses encontros a troca de “histórias de fé” pessoais, em pequenos grupos, e a que ocorreu em Acra teve exatamente essa forma. A bispo Rosemarie Wenner, representante da Igreja metodista do Conselho Mundial das Igrejas, explicou: “Ver Cristo nos outros é o objetivo deste exercício. Deixar que o Espírito Santo guie as nossas palavras e escutar com atenção as histórias dos outros. Isso faz nascer verdadeiramente uma amizade espiritual e uma unidade fraterna que gera uma grande alegria entre todos”.

O tema escolhido para o encontro foi “Para que todos sejam um, para que o mundo creia” (João 17:20). Billy Wilson, presidente da Pentecostal World Fellowship, destacou três aspectos dessa unidade que é sobretudo relacional. Depois, se realiza na missão: “para que o mundo conheça e creia”. Enfim, é espiritual, como as relações entre as pessoas da Trindade.

Uma experiência de grande riqueza, imagem da Igreja do futuro que já se mostra atual por meio de tais experiências.

Enno Dijkema

No comment

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *