Queridos leitores,

Enquanto estamos fechando este número o conflito na Ucrânia continua, com toda a sua crueldade.
Um confronto extremo, que se acrescenta aos tantos pontos “quentes” da terra, onde combates e violências provocam perdas humanas, destruição, refugiados obrigados a deixar a própria terra e cultura, crescimento da pobreza em todos os sentidos.

As redes sociais, os jornais e a televisão nos permitem acompanhar em tempo real o que acontece. No meio de tanto sofrimento provocado pelos homens, vemos quem luta para defender-se e para sobreviver, mas também quem sente vergonha pelo mal provocado, pelo rosto de Deus ofendido em tantos próximos.

Mas a solidariedade não demorou a chegar. Estados, organizações solidárias, pessoas individualmente, correm para receber irmãos desalojados que tiveram que deixar suas casas, seus bens, a sua história, que tiveram que decidir em poucas horas, ou em poucos minutos, se e como ir embora, levando consigo o possível para não dificultar uma viagem que se sabe onde começa, mas não onde termina.

A generosidade que vemos nestes dias é muito grande: quem dá o seu tempo, quem coloca à disposição a sua casa ou qualquer lugar possível para a acolhida, quem faz coletas de todo tipo de gêneros de primeira necessidade, roupas e remédios, quem disponibiliza dinheiro, quem organiza e faz brincadeiras com as crianças que estão nos refúgios ou locais de recebimento dos desabrigados.  Uma situação que continua a evoluir, sobre a qual vocês encontrarão informações e atualizações no site www.focolare.org.

Inclusive neste momento, todos podemos continuar a contribuir para a paz, começando a ser nós os seus construtores, lá onde estamos, onde passamos o nosso dia, com ações concretas. Às vezes nos aproximando de quem tem posições que nos contrastam, incluindo quem está marginalizado ou não é levado em consideração, verificando as fontes antes de difundir uma notícia ou um comentário nas redes, ajudando ou acolhendo quem não tem um teto ou o necessário para sobreviver. Será a nossa melhor contribuição para a paz mundial, juntamente com a oração de súplica e de agradecimento por cada passo, ainda que pequeno, na resolução dos conflitos.

Neste número vocês encontrarão muitos testemunhos que podem nos encorajar no caminho rumo a um mundo unido. Na abertura publicamos a mensagem de Margaret Karram para o Cantiere Hombre Mondo, e fechamos com um pensamento de Chiara Lubich sobre a paz, retirado de seu discurso na UNESCO, em 1996.

Boa leitura.

Stefania Tanesini con Anna Lisa Innocenti,
Lorenzo Russo, Carlos Mana, Maria Grazia Berretta,
Maria Laura Hernandez, Laura Torelli, María Luz Peña,
Laura Salerno, Johanna Boss, Carmelita Ventrella.

FileAction
Notiziario Mariapoli nr. 1 2022.pdfDownload
Newsletter Mariapolis - nr. 1 2022.pdfDownload
Noticiario-Mariapolis-ES 1 - 2022.pdfDownload
Journal-Mariapolis - nr.1 - 2022.pdfDownload
Noticiário-Mariápolis - nr.1 - 2022.pdfDownload
Noticiário-Mariápolis - nr.1 - 2022

2 Comments

  • La irracional guerra en Ucrania nos tiene a todos con el corazón como una pasa de uva. Siguiendo el consejo del Apostol Pablo Oremos sin cesar porque vuelva la paz, porque el corazón de los agresores experimenten arrepentimiento y porque tantos agredidos el perdón.
    +Miguel Tamayo y Martha Lopez

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.