Uma chance de resgate

De 26 de abril a 21 de maio, o Gen Rosso fez uma turnê especial na Alemanha.

“Fortes sem violência” é o nome do projeto de prevenção ao bulismo e à violência juvenil criado pelo Gen Rosso juntamente com a Associação Starkmarcher. Dois dias de espetáculos, precedidos por três dias de workshops (música, hip-hop, cenografia, iluminação, som, teatro, dança, canto…) para preparar 250 estudantes, em cada cidade da turnê, para subir ao palco ao lado do Gen Rosso, em algumas cenas do musical Streetlight: não tanto uma ação “para” os jovens, mas uma ação “com” os jovens.

26 – 30 de abril de 2010 – “Como se não esperassem outra coisa”. Bordesholm, cidade na fronteira com a Dinamarca. Recebido pelas autoridades da cidade e pelos membros do Rotary Clube, como patrocinador, o Gen Rosso realizou o projeto em uma escola preparada pela equipe da Starkmacher. “Bulismo e violência juvenil – a diretora da escola deixou claro – aqui viajam pela internet”. Por isso, como se lê numa reportagem do Gen Rosso, a primeira estratégia foi: “Não vamos falar de violência”. Desde o início a proposta aos estudantes foi viver uns pelos outros, na cultura da partilha: escuta, paciência, ajuda. A resposta foi imediata. Entre os estudantes estava Karim, um garoto difícil, com comportamentos provocatórios. Gradualmente inseriu-se no grupo e no final nos confidenciou: “Este projeto é um tesouro. Lembrem sempre de mim!”. Três mil pessoas participaram dos dois shows, entusiasmadas, incrédulas, ao perceber com que senso de responsabilidade e doação cada estudante tornou-se “protagonista” da mensagem de unidade e fraternidade lançado do palco, junto com o Gen Rosso.

3 – 7 de maio. A turnê continuou em Solingen, cidade industrial conhecida pelas suas usinas de aço. É forte a presença multiétnica: Turquia, Itália, países do Leste Europeu, Curdistão. “Estivemos em duas escolas, com estudantes de famílias imigradas de 32 países. Jovens com talentos e valores escondidos – continua o Gen Rosso –. Acolheram-nos com simpatia, sem saber ao certo o que os esperava. Trabalharam com seriedade, com um desejo de resgate: mostrar o máximo das suas potencialidades. Infundimos confiança neles”.

Os espetáculos, na Sala de Concertos da cidade, tiveram a participação de 2 mil pessoas. Entre elas o prefeito e os patrocinadores, Cáritas-Colônia e Xenos. Uma autoridade comentou: “Uma experiência que esses jovens jamais poderão esquecer!”.

10 – 15 de maio. Munique. No contexto do Kirchentag ecumênico o Gen Rosso teve à disposição o espaço da Arena de Eventos, para apresentar o projeto, após três anos de preparação com a escola ‘Hauptschule Impel’, onde 80% dos alunos são de famílias imigradas. No dia 15 de maio, numa sala entusiasta e lotada com mais de 1500 pessoas, foi apresentado “Streetlight”. A satisfação dos professores era visível: “Muitos jovens foram uma verdadeira revelação. Quem poderia esperar que demonstrassem tanta responsabilidade, compromisso, espírito de doação. Faremos de tudo para manter e cultivar este ‘novo’ clima da escola!”.

17 – 21 de maio: “Protagonistas e mensageiros”. Altenkirchen (Bonn), escola com 840 alunos, ambiente rural, sereno e menos agressivo. Após três dias de trabalho desabrocha um novo relacionamento dos estudantes entre si e com os professores. Um deles diz: “Daqui a pouco vou me aposentar e graças ao trabalho de vocês entendi porque 35 anos atrás escolhi ser professor…”. Depois apresenta-se Streetlight e testemunhos da surpresa, da ajuda recíproca, de seriedade e alegria. Uma personalidade comentou: “Uma mensagem clara que chega aos corações de muitos, à qual aderem os cristãos, mas também os muçulmanos que entram em cena com o Gen Rosso. Todos se tornaram ‘protagonistas e mensageiros’”.

Comments are disabled.