Farol, um nome profético

Um nome profético: Farol. Farol de luz para todos os que a visitarem, lugar de encontro e de formação para pessoas de várias nações, Igrejas, religiões e homens de boa vontade. Nestas décadas se revelou ser realmente assim, chegando a receber mais de quatro mil visitantes por ano, e colocando-se à serviço de cursos de formação internacionais, oficinas de trabalho, encontros culturais e de caráter ecumênico e inter-religioso.

Foi em circunstâncias hostis a qualquer tipo de reunião de pessoas, que a espiritualidade da unidade chegou à Croácia, no início da década de 1960, e, não obstante, o estilo de vida baseado no Evangelho, proposto pelos Focolares, foi difundindo-se em muitas partes do país.

Uma ex-residência episcopal fora de uso, algumas casas e 22 hectares de terra, em Križevci, a 60 km de Zagreb, foram colocadas à disposição do Movimento nos anos 1980, justamente quando se estava procurando um lugar fixo para as reuniões. “Poderia ser um ponto de encontro para os países socialistas!”, exclamou Chiara Lubich. Dez anos depois a profecia se realizou, com a contribuição de muitas pessoas que arregaçaram as mangas para transformar construções velhas (as estalagens, as oficinas, a residência e as casas em estado precário) no atual Centro Mariápolis, que hoje oferece ambientes adequados para cursos de formação.

Nos anos da guerra, 1991-1995, muitas pessoas vindas da Sérvia, Bósnia e Croácia, puderam reencontrar ali a força de perdoar e recomeçar. Algumas famílias se estabeleceram no local. E para educar as novas gerações à fraternidade teve início a escola infantil “Raio de Sol”. Após o lançamento da Economia de Comunhão, no Brasil, também na Mariápolis Farol nasceram as primeiras pequenas empresas, para dar um lugar de trabalho aos recém chegados.

Um momento histórico foi a visita de Chiara, em abril de 1999, que deu nova luz a todas as realidades já existentes, deixando uma marca indelével em todos os moradores, na própria cidade de Križevci, e não só.

É nesse contexto que, de 6 a 10 de agosto próximo, acontecerá a visita da presidente do Movimento dos Focolares, Maria Voce, e do co-presidente, Giancarlo Faletti. Uma visita informal, cujo pretexto é o compromisso marcado com a Secretaria Internacional dos religiosos – um dos 22 setores do Movimento dos Focolares – previsto para o dia 7 de agosto, mas que compreenderá também momentos de diálogo com os focolarinos e os outros habitantes da Mariápolis.

Atualmente, além dos focolares e das famílias estabelecidas de forma estável, existem algumas atividades produtivas da EdC: uma empresa agrícola com a plantação de ameixas (15 hectares), a venda por atacado de flores “Plantart”, a oficina auto-mecânica “Bestim”, além da empresa “Stellae Fari”, que compreende um atelier de conserto de calçados, um salão de beleza e a venda de produtos de uma empresa italiana de EdC.

Na escola infantil “Raio de sol” trabalham 19 pessoas, para 110 crianças que crescem na cultura da solidariedade e da reciprocidade, no contexto da pedagogia da comunhão. A sua irradiação atinge a Croácia e mais além, com frutos muitas vezes inesperados. É um laboratório precioso, que oferece ideias para a elaboração de percursos da pedagogia de comunhão, inclusive para as Universidades de Zagreb e de Skopje. Estão sendo dados alguns passos no âmbito do esporte. A colaboração com as estruturas locais teve uma abertura progressiva, até ao reconhecimento público que, recentemente, o Movimento dos Focolares recebeu da cidade de Križevci.

Comments are disabled.