Genfest: observatório sobre a fraternidade

A logo do projeto (explicação abaixo)

Qual o futuro que nos espera? É a pergunta aberta a milhões de jovens que não querem só ficar olhando, da Ásia ao Oriente Médio. O Genfest pode ser uma oportunidade para muitos deles: alargar os horizontes além de guerras civis e revoluções falidas, crise globalizada e cultura do medo, e tentar propostas ousadas. Como a de constituir um grupo de pesquisa para estudar se e como o “princípio esquecido” da história moderna, a fraternidade, está em grau de incidir nas escolhas individuais e coletivas.

O Projeto Mundo Unido (UWP, na sigla em inglês), foi idealizado pelos Jovens por um Mundo Unido, do Movimento dos Focolares (WWW.t4uw.org) e é aberto à colaboração de todos os grupos juvenis e redes internacionais, pertencentes a outras culturas e credos religiosos, com os quais, nos anos passados, houve uma colaboração sobre diferentes temas. Uma reflexão inspiradora: «Na cidade, a fraternidade pode tornar real a liberdade e a igualdade, que consiste em criar as condições para que cada pessoa, cidadão, família, associação, empresa, escola, possa exprimir a própria personalidade e dar o melhor de si», como afirmou Chiara Lubich em 2001. Aos jovens cabe a missão de traduzir este pensamento em opções concretas. Com o suporte de especialistas e de jovens profissionais, o projeto foi montado e se articulará em três fases: Network (a rede), Watch (o observatório), Workshop (o laboratório).

  • Mundo Unido NETWORK: tecer uma rede de jovens, no mundo inteiro, aos quais é pedido um compromisso pessoal, com a própria assinatura. Tem como finalidade aprofundar as exigências de uma cultura de fraternidade universal e o empenho em viver a “regra de ouro”, “faça aos outros o que gostaria que fosse feito a você”. Esta primeira fase do projeto iniciará durante o Genfest, com a primeira coleta de assinaturas, e continuará até o começo da próxima Semana Mundo Unido, dia 1º de maio de 2013, quando o Observatório Permanente será constituído oficialmente.
  • Mundo Unido WATCH: constituir um Observatório Internacional Permanente para examinar ações e iniciativas que foram, de fato, capazes de gerar um “incremento de fraternidade” no tecido social, econômico, cultural e político do planeta. Avaliará indicadores de coesão social, de paz, de acolhida e de diálogo entre pessoas de diferentes crenças e culturas, de interdependência, de reconhecimento dos direitos, de perdão e reconciliação, de inclusão e integração, de redução de desigualdades, de respeito e atenção ao ambiente… O Observatório deverá promover também iniciativas culturais específicas.
  • Mundo Unido WORKSHOP: requerer que a ONU reconheça o interesse internacional da Semana Mundo Unido, confirmando e dilatando ainda mais o evento anual que há mais de quinze anos reúne os jovens dos Focolares – e muitos outros – no compromisso de dar voz à fraternidade universal. O processo de reconhecimento junto à ONU já foi iniciado.

O UWP é direcionado a todos os países, a todos os povos, com um lugar privilegiado para a África, que já há algum tempo (desde os anos 1960) recebe as “oficinas de fraternidade” dos Jovens por um Mundo Unido. Nesta trajetória comum, compartilhando os sofrimentos, aprendeu-se também o forte senso de comunidade, os novos modelos de participação e as mudanças possíveis.

Ark Tabin, das Filipinas, faz parte do grupo de trabalho do UWP e ocupou-se especialmente do mapeamento que servirá como base para o observatório, sobre as iniciativas já atuantes nos vários países. Na sua cidade, por exemplo, um programa alimentar para as crianças mais pobres e uma coleta de roupas para os pacientes de um hospital, que deslocam-se das vilas mais distantes. Para ele assinar o projeto significa “não só abraçar uma ideia, mas comprometer-se a viver bem, a olhar ao redor, a intervir. Quando você assina quer dizer que quer empenhar-se em mudar o mundo partindo do lugar onde está”.

Portanto, encontro marcado no dia 1º de setembro, quando a coleta de assinaturas será parte do programa “Vamos construir pontes”, metáfora essencial do Genfest.

www.genfest.org

Outras informações: https://www.focolare.org/area-press-focus/pt/

Logo: a logomarca, realizada por um jovem gráfico italiano, é composta por dois círculos. O interno – traçado à lápis, o que denota a sua vulnerabilidade – representa o mundo. O externo – de cor azul para significar a universalidade do céu – representa um manto que protege. Estão excluídos outros significados religiosos ou políticos.


The Genfest 2012 project has been funded with support from the European Commission.
This communication reflects the views only of the author, and the Commission cannot be held responsible for any use which may be made of the information contained therein.

2 Comments

  • from DAYLYN HAYAG..

    It’s for all countries, but the continent of Africa holds a special place, since it has been welcoming the Youth For A United World’s ‘spaces of fraternity’ since the 1960’s. Through this common path and sharing in the suffering of others, they have acquired a strong sense of community, discovered new models for involvement and real change.

    Ark Tabin from the Philippines belongs to a UWP work group. He is particularly involved with mapping out the various projects already underway in several countries which will serve as the basis for the observatory. In his city, for example, there is a nutrition programme for the country

  • ciao!
    je pars pas pour le Genfest mais j’aimerais exprimer par le présent message mon engagement pour le projet! j’attendrais pas le genfest pour commencer, je sais que l’occasion ne manquera pas pour aimer mon prochain et pour vivre ainsi la règle d’or
    certes, ma participation n’est qu’une goutte d’eau dans l’océan mais JE M’ENGAGE et je suis prête à être le changement et le porter au monde entier!
    Dina (une jeune fille de MADAGASCAR)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *