Emergência Síria: um apelo pelos refugiados

Um milhão e meio de sírios fugiram das zonas mais violentas do país

Decidir deixar a própria terra, casa, trabalho, amigos é um fato traumático, quando não existe outra escolha. É impossível prever se e quando será possível retornar e se aquilo que se deixou será recuperado. Um milhão e meio de sírios fugiram das regiões mais violentas do país para zonas menos perigosas, e 311.000 – segundo as últimas estimativas da ONU – refugiaram-se nos países limítrofes: Turquia, Iraque, Jordânia e Líbano.

Ainda não se enxerga uma solução possível para esse conflito que contrapõe forças governamentais e de oposição, aliás, teme-se uma extensão da crise a níveis internacionais.

No entanto, o vento da primavera árabe havia dado esperança na força da resistência não violenta e no impulso pacífico para uma reforma do país em senso democrático, num contexto em que a convivência entre vários credos religiosos nunca havia trazido problemas sérios. Depois, tudo se precipitou.

Novas soluções diplomáticas estão sendo buscadas, e enquanto isso, com a esperança que possa emergir a verdadeira alma do povo sírio e que sejam realizadas as suas aspirações de uma convivência pacífica sem destruir o país, procura-se aliviar a população atingida.

No Líbano, o Movimento dos Focolares atua na linha de frente na ajuda aos refugiados. As comunidades responderam a essa emergência com grande generosidade, colocando à disposição o que podiam, dinheiro e bens. No Centro Mariápolis de Ain Aar estão alojadas algumas famílias sírias, e outras foram hospedadas em várias partes do país. “Todos gostariam de voltar para a Síria – escreveram os responsáveis do Movimento no Líbano – mas a situação não permite. Por isso matriculamos as crianças nas escolas libanesas e esperamos pelo desenrolar dos acontecimentos. Os refugiados participam com o que podem, mas o custo de vida no Líbano é pelo menos cinco vezes superior ao da Síria, e os recursos financeiros terminam rapidamente”.

© Foto UNICEF HQ

Contemporaneamente, na Síria, a perda progressiva do trabalho, pelo fechamento de muitas fábricas, a queda do comércio e o aumento dos preços dos gêneros de primeira necessidade, principalmente óleo diesel e gás, tornam dramática a subsistência de muitas famílias, e o futuro extremamente inquietante.

Por isso é importante não deixar essa população só, e sustentá-la de todas as formas possíveis.

A AMU (Associação Ação por um Mundo Unido, ONG inspirada na espiritualidade dos Focolares), coordena uma coleta de fundos e as ações emergenciais, juntamente com os responsáveis locais. Neste momento os recursos são destinados às ajudas de primeira necessidade (alimentação, alojamento, saúde), seja para as famílias dos refugiados seja para aquelas que se deslocaram dentro do país. No Líbano, além disso, procura-se inserir as crianças nas escolas libanesas.

Quem deseja exprimir a sua proximidade à população síria, inclusive por meio de uma contribuição em dinheiro, pode utilizar a seguinte conta corrente, em nome de:


Associazione Azione per un Mondo Unito

Banca Popolare Etica, filial de Roma.

Código IBAN:  IT16G0501803200000000120434

Código SWIFT/BIC CCRTIT2184D

 Motivação “Ajuda às famílias sírias” ou “Escolarização das crianças sírias”.

No comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *