Fragmentos de fraternidade

Os Jovens por um Mundo Unido nos contam alguns dos muitos “fragmentos de fraternidade” em andamento onde estão presentes, em muitas partes do mundo. Eis algumas delas:

Nova Zelândia: “Todos os meses promovemos uma atividade diferente no âmbito social. No nosso país existem muitas praias, todas muito bonitas, acessíveis a todos: famílias, jovens, esportistas e crianças. Todos respeitam a natureza, porém, mesmo assim, nas praias, é frequente encontrar lixo em lugares indevidos. Entramos em contato com a Prefeitura de Wellington que acolheu a nossa iniciativa, fornecendo-nos todo o material necessário para a limpeza. Depois, marcamos um encontro com um grupo de Jovens por um Mundo Unido e durante uma tarde… todos com luvas e sacos para recolher o lixo! Escolhemos a praia mais frequentada e, além de prestar um serviço à cidade, estabelecemos relacionamentos com muitos jovens que quiseram colaborar conosco nesta iniciativa”.

“Em Paris organizamos uma tarde de solidariedade logo depois do Tsunami e do desastre nuclear, acontecido no ano passado, em Fukushima. Durante este evento apresentamos o Projeto Mundo Unido e fizemos uma conexão, via Internet, com um grupo de Jovens por um Mundo Unido, no Japão. Eles nos contaram como viveram durante o desastre, procurando ajudar todas as pessoas que encontravam. Tivemos a oportunidade de conhecer, um pouco mais, a comunidade do Movimento no Japão e a vida cotidiana deles. Alguns dos nossos amigos, presentes naquela tarde, descobriram a importância da solidariedade e a alegria de ser envolvidos em um projeto de fraternidade. A soma recolhida foi enviada ao Japão para ajudar a comunidade local”.

Sena (Itália). “Minha mãe, com a idade de 94 anos, foi internada em regime de urgência no Pronto Socorro, às 23h. Eu e minha irmã estávamos preocupadas e muito adoloradas porque não nos permitiram permanecer com mamãe e ela ficou só. Enquanto estávamos na sala de espera notamos que um jovem, sentado ao nosso lado, tinha o desejo de conversar com alguém, lhe perguntamos por que ele estava no Pronto Socorro e ele nos respondeu que a sua mãe fora internada por causa de uma suspeita de crise cardíaca. Quando nos permitiram entrar e ver a mamãe descobrimos que, no mesmo quarto encontrava-se a mãe daquele jovem que também esperava fora e assim pudemos dar notícias tanto ao jovem quanto ao seu pai, que também aguardava fora. Depois, quando aquele jovem entrou, por sua vez, nos trouxe noticias da minha mãe. Naquelas alturas, o pai daquele jovem – antes muito silencioso – entrou na conversa e falou sobre os problemas que encontrava no seu ambiente de trabalho. Depois de duas horas tanto a minha mãe quanto a outra senhora receberam alta e, quando nos despedimos, o jovem nos disse: ‘Foi muito agradável conversar com vocês! Espero reencontrá-las!’. Desapareceu a nossa angústia de ter ido ao Pronto Socorro. Constatamos que se supera o sofrimento pessoal, a preocupação e a também a angústia, amando quem está ao nosso lado!”.

Glolé (Costa do Marfim). “Tendo filhos ainda muito pequenos, as jovens mães não conseguem dedicar-se aos trabalhos nas lavouras. Para ajudar-se reciprocamente nasceu entre elas a idéia de fazer turnos para cuidar das crianças. Antes de ir ao trabalho, deixam as crianças com duas mães que, naquele dia permanecem em casa, cuidam das crianças durante todo o tempo necessário e preparam as refeições. Depois do trabalho, as mães buscam os filhos e, neste grupo, nasceu uma grande confiança recíproca entre as mães!”.

Projeto Mundo Unido: site oficial Facebook

1 Comment

  • Frammenti di fraternità vissuti da donne, uomini, adulti bambini, giovani o anziani, ecco un popolo in divenire che piano piano arriva ad essere mondo fraterno.

    • Deixe uma resposta

      O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *