A Fazenda da Esperança e o “carisma” da unidade

Maria Voce com Nelson Giovannelli

“Fazenda da Esperança”: uma história de 30 anos, desde quando um jovem, Nelson Giovannelli, impulsionado pelas palavras do apóstolo Paulo “Fiz-me fraco com os fracos…”, aproximou-se de um grupo de jovens toxicodependentes do seu bairro com o desejo de fazer alguma coisa por eles. Na sua ação foi assistido, desde os primeiros passos, pelo Padre Hans Stapel (Frei Hans), que o encorajou com o seu exemplo. Hoje, as Fazendas multiplicaram-se em muitos países e realizam uma ação importante de recuperação das ruas e renascimento a partir dos ensinamentos do Evangelho, ao ponto de serem definidas, por um bispo brasileiro, como “um santuário da Nova evangelização!”.

No dia 15 de abril, por ocasião da viagem de Maria Voce e Giancarlo Faletti no Brasil, viveu-se um momento de profunda partilha entre os jovens da Fazenda (mais de 600 presentes e outros ligados via internet, das 70 Fazendas no mundo) e os representantes dos Focolares.

Frei Hans abriu o encontro, revelando «a experiência de Deus» vivida na sua recente hospitalização. Depois música, alguns trechos da história do início da Fazenda, experiências de vida e um diálogo denso. Comoção pelos testemunhos apresentados por quem passou pelo inferno da droga. Há quem, como Mário chegou à doação a Deus, e à fundação de novas comunidades em outros países da América Latina.

No diálogo com Maria Voce e Giancarlo Faletti, os jovens descobriram a espiritualidade que está na raiz da experiência de recuperação que fizeram, o carisma da unidade, que anima a própria vida dos seus fundadores. Os jovens arriscaram fazer as perguntas mais profundas: sobre as cicatrizes deixadas pela experiência passada, sobre sexualidade e castidade, e também sobre o significado do carisma (entendido como um dom de Deus, através de uma ou mais pessoas, para a humanidade) da Fazenda em relação com a experiência de Chiara Lubich.

Aqui emergiu a novidade que caracterizou o encontro: «Um carisma, fruto do carisma da unidade – afirmou Giancarlo Faletti – mostra a dinâmica da vida de Deus em ação, a sua presença na história da humanidade. Vindo aqui hoje, estamos fazendo com vocês uma grande experiência da ‘produtividade” de Deus!’». E Maria Voce: «Pensando no carisma da unidade – também depois de ter encontrado aqui no Brasil outros carismas que são fruto dele – vejo-o como a raiz de uma árvore com muitos ramos e cada ramo com muitos frutos, e cada fruto parece-me a expansão de um particular».

«Se penso na Fazenda – continuou – penso no problema da dependência da droga e digo: Jesus assumiu o drama da droga, gritou o Abandono [do Pai]. Esta obra assumiu só este particular, mas é um grande particular, e a fez tornar-se uma obra maravilhosa. Uma outra obra assume o particular da falta de instrução das crianças – também a ignorância foi assumida por Jesus no Abandono – e do carisma da unidade nasceu uma obra que faz uma pedagogia nova. Mesmo se a raiz está escondida e vêem-se só os ramos e os frutos, a raiz alegra-se. E os frutos são gratos à raiz». Também Frei Hans o confirma, desejando a intensificação da colaboração recíproca, e manifestando a exigência de que os formadores das Fazendas sejam alimentados, como já acontece em algumas, pela espiritualidade da unidade.

«Parece-me – concluiu Maria Voce – que todos os carismas que estamos conhecendo e muitos outros que não conhecemos e que nascerão, estão dentro do carisma da unidade, porque estão ligados pelo amor recíproco que evidencia a grandeza do particular de um e de outro, e juntos contribuem para a realização da oração de Jesus “que todos sejam um”. Portanto, digo: “Viva a Fazenda da Esperança!”».

Siga a viagem acessando: Noticiário Mariápolis – Área Reservada

Website: www.focolares.org.br/sitenacional

No comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *