Começa a Semana Mundo Unido 2014

Terá início, em Nairóbi, uma conexão mundial (http://live.focolare.org/y4uw/) que, no dia 1° de maio, às 13h (CET), unirá jovens dos cinco continentes para inaugurar a Semana Mundo Unido 2014 (SMU): “Bridging cultures” (“Construindo pontes entre as culturas”), uma infinidade de atividades e ações dos Jovens por um Mundo Unido (JMU), presentes em todos os continentes, centralizadas na partilha recíproca. Estão previstas outras conexões com o Japão, RDC, Costa do Marfim, Burkina Faso, Nigéria, Argélia, Portugal e Brasil. Cem jovens chegaram estes dias a Nairóbi (Quênia), uma parte representa os povos africanos da África subsaariana e, outra, jovens de outros continentes.

“Sharing with Africa”, “Compartilhando com a África”. É o slogan para expressar a reciprocidade que, neste ano, a SMU quer concretizar, tendo como foco o continente africano, símbolo de cores, culturas e desafios, para aprofundar alguns fundamentos das culturas africanas, com uma partilha recíproca de dons de riquezas.

A Loppiano (Itália), como todos os anos, se transformará em uma grande praça (#Spiazzaci), para dar visibilidade a uma Itália diferente, com iniciativas sobre Legalidade, Diálogo Inter-religioso e Imigração. Outras informações: www.facebook.com/y4uw.international?fref=ts

Maria Voce, Presidente dos Focolares, expressou aos jovens o reconhecimento pelo “empenho” e “a irredutível coragem” na atitude de “seguir o objetivo do Mundo Unido, imersos nos acontecimentos complexos do mundo contemporâneo e nas diferentes situações” em que se encontram. É uma “obra colossal”, acrescentou, “mas, trata-se do sonho de um Deus, como Chiara Lubich gostava de defini-lo.” Assegurando o seu apoio a todos os que “se reconhecem nos ideais do Movimento dos Focolares”, ela fez referência aos votos que João Paulo II formulou aos JMU: “Somente aqueles que miram o futuro constroem a historia!”, e concluiu, “e, a história, como fermento na massa, nós a construímos aqui e agora”, com muitas outras pessoas.

No dia 1° de maio será lançado o Atlas da fraternidade, o primeiro relatório sobre oitocentos fragmentos de fraternidade, ações corajosas que se difundem nas cidades, edificando pontes entre os homens, grupos e culturas, ações que abrem caminhos de diálogo e indicam novos rumos. Uma viagem ideal, entre meridianos e paralelos do globo terrestre, que evidencia como a fraternidade colocada em prática envolve o mundo. Constitui o primeiro documento do United World Project, depois do Genfest 2012, em Budapeste. Acesso: www.unitedworldproject.org.

3 Comments

  • Bellissimo sentirsi un’unica famiglia nel mondo: LET’S BRIDGE con Africa, ma anche con la Siria e con i popoli più travagliati.

    • Deixe uma resposta

      O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *