20140618-02Mais um passo avante para Slot Mob, campanha contra o jogo de azar sustentada por numerosas associações e media, inclusive com o apoio de jovens. Aconteceu em Catânia (Itália), onde a prefeitura comprometeu-se no combate às máquinas de jogo, aprovando uma emenda na deliberação sobre o imposto único municipal sobre casa e dejetos (IUC), que reduz de 50% o imposto dos empresários que as retirarão da própria loja. Trata-se de uma redução para um total de dois anos, com o compromisso de não instalar nenhum outro instrumento de jogo de azar durante 10 anos.

A manifestação para promover bares e pubs que não tem máquinas de jogo e vídeo pôquer chegou a Catânia dia 22 de fevereiro passado. Naquela ocasião os adolescentes do Movimento Juvenil pela Unidade, na sua publicação “Grafoteens” – um boletim de informações do Movimento Juvenil da Sicília, Calábria e Malta – questionavam-se sobre «uma ética que deixa de existir para o mundo do jogo de azar em geral, que ataca cada vez mais as faixas pobres da cidade» (inclusive os menores, apesar da proibição), e inversamente «uma ética que emerge com força no uso dos bens confiscados da máfia, e que na Calábria continua a ser atacada pela “´Ndrangheta”(associação mafiosa na Calábria, ndt.)». Explica-se assim o motivo do título do artigo, «Mas o Estado, de que lado está?». Um pedido explícito às instituições para que tomem uma posição decidida a fim de sustentar aquela ética que está viva, apesar de tudo. A resposta chegou em junho, com a deliberação do Município.

Compreensível a «grande satisfação» do comitê “Entremos no jogo”, que promoveu Slot Mob, e também dos adolescentes do Movimento Juvenil, que se haviam empenhado em colaborar. «É um sinal de afastamento das lógicas de clientela e do lobby muito forte nos gerenciadores das máquinas de jogo  – escreveu Giancarlo Morello no editorial do número de junho de Grafoteens -. Enfim, apreciamos o empenho e a manutenção da promessa que alguns vereadores haviam feito nos dias do Slot Mob, de que teriam se mobilizado para a premiação de quem retirasse as máquinas. Um primeiro sinal para realizar o objetivo do comitê “Entremos no jogo”, e também nosso, de Grafoteens, de chegar a uma cidade sem caça-níqueis». A cidade de Catânia trabalha ainda em um regulamento municipal contra a difusão do jogo patológico.

Como Catânia, são muitos os municípios onde a luta contra os jogos de azar, com a mobilização civil, tomou as formas mais diversas através da campanha Slot Mob. A iniciativa é apoiada, entre outros, pela revista Città Nuova e pela Economia de Comunhão.

Para conhecer mais (em língua italiana):

http://www.nexteconomia.org/le-attivita/slot-mob

http://www.edc-online.org/it/home-it/slotmob.html

1 Comment

  • as a student this campaign slot mob gambling is also helpful to our society especially in our young people so that they will not lead astray.. and also by conducting this organization their are unity for the teen who are willing to join the campaign…to avoid misleading action.
    🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.