Novembro 2014

[…] Essa Palavra da Escritura nos diz algo tão importante, tão vital, que chega a ser um instrumento de reconciliação e de comunhão.

Para começar, ela nos diz que só existe uma fonte da vida: Deus. Dele, do seu amor criativo, nasce o universo, e Ele o faz ser a casa do homem.

É Deus quem nos dá a vida com todos os seus dons. O salmista, conhecedor de como são ásperos e áridos os desertos, sabedor do que significa uma nascente de água, com a vida que floresce ao seu redor, não podia encontrar uma imagem mais bela para cantar a criação que nasce, como um rio, do regaço de Deus.

É por isso que jorra do seu coração um hino de louvor e de gratidão. Este é o primeiro passo a ser dado, o primeiro ensinamento a ser tirado das palavras do Salmo: louvar e agradecer a Deus pela sua obra, pelas maravilhas do cosmo e pelo homem vivente, aquele que é a sua glória e é a única criatura capaz de dizer-lhe:

“Em ti está a fonte da vida”

Mas, para o amor do Pai não foi suficiente pronunciar a Palavra com a qual tudo foi criado. Ele quis que a sua própria Palavra assumisse a nossa carne. Deus, o único verdadeiro Deus, fez-se homem em Jesus e trouxe à terra a fonte da vida.

A fonte de todo bem, de todo ser e de toda felicidade veio tomar morada entre nós, para que a tivéssemos, por assim dizer, ao alcance das mãos. “Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância” (Jo 10,10), diz Jesus. Ele preencheu de si mesmo cada tempo, cada espaço da nossa existência. E quis permanecer conosco para sempre, de modo a ser reconhecido e amado sob as mais diferentes vestes.

Às vezes aflora o pensamento: “Como seria bom viver no tempo de Jesus!” Pois bem, o seu amor inventou um modo de permanecer não apenas num pequeno rincão da Palestina, mas em todos os pontos da terra: conforme a sua promessa, Ele se faz presente na Eucaristia. E ali podemos matar a nossa sede para nutrir e renovar a nossa vida.

“Em ti está a fonte da vida”

Outra fonte onde podemos sorver a água viva da presença de Deus é o irmão, a irmã. Todo próximo que passa ao nosso lado, sobretudo o mais necessitado, quando nós o amamos, não se pode considerar um nosso beneficiado, mas um nosso benfeitor, porque nos doa Deus.

De fato, amando Jesus nele – “Pois eu estava com fome (…), estava com sede (…), era forasteiro (…), estava na prisão (…)” (cf. Mt 25,31-40) –, recebemos em troca o amor de Jesus, a sua vida, porque Ele mesmo, presente nos nossos irmãos e irmãs, é a fonte desse amor.

Uma fonte rica de água é também a presença de Deus dentro de nós. Ele sempre nos fala, e cabe a nós escutar a sua voz, que é a voz da consciência. Quanto mais nos esforçamos em amar Deus e o próximo, tanto mais a sua voz se torna forte e supera todas as outras. Mas existe um momento privilegiado no qual, como em nenhum outro, podemos ter acesso à sua presença dentro de nós: é quando rezamos e procuramos aprofundar o nosso relacionamento direto com Ele, que habita no fundo da nossa alma. É como um profundo veio de água que não seca jamais, que está sempre à nossa disposição e que pode saciar a nossa sede a cada momento. Bastará fechar por um instante as janelas da alma e recolher-nos, para encontrar esse manancial, mesmo estando no mais árido deserto. Até alcançarmos aquela união com Ele na qual sentimos que não estamos mais sós, mas somos dois: Ele em mim e eu Nele. Todavia somos um – por sua graça – como a água e a nascente, como a flor e a sua semente.

Portanto, […]  a Palavra do Salmo nos lembra que somente Deus é a fonte da vida e portanto fonte da comunhão plena, da paz e da alegria. Quanto mais nos saciarmos dessa fonte, quanto mais vivermos dessa água viva que é a sua Palavra, tanto mais nos aproximaremos uns dos outros e viveremos como irmãos e irmãs. Então se realizará, como continua o mesmo Salmo: “… e à tua luz vemos a luz”, aquela luz que a humanidade espera.

Chiara Lubich

 Este comentário à Palavra de Vida foi publicado originalmente em janeiro de 2002.

9 Comments

  • sono agostino impicciche’ anni 64 nato a marsala il 13.7.1950 dopo questa breve presentazione vengo a raccontarmi un po’ di me .ho avuto la fortuna grazie ad un mio compagno di scuola del movimento dei focolarini.ne sono rimasto incantato quasi da subito anche perche’ il primo mio invito e’ stata la mariapoli di acireale alla quale ho partecipato dopo i vari raduni che si verificano settimanalmente a palermo,dopodiche’ sono stato invitato a partecipare al raduno mondialea rocca di papa prov.

  • Esta Palavra nos refontaliza em Deus. Ele é o Único capaz de matar a nossa sede. Em Jesus, Verbo Encarnado, somos capazes de entender que é possível beber desta Água que mata a nossa sede. Paz e Bem!

  • Quero ser uma associada do mov. focolarinho
    tenho grande estima e apresso pelo vosso lindo trabalho e estimo muito a fundadora , seio que estas já no véu , mora também no meu coração .gostaria de saber setem como eu me conectar com com vocês? a mesma desejá fazer uma caminhada beber da espiritualidade do mov. foc..e vivenciar tambem o carisma do mesmo. um forte abraço.

  • Quanto a come sia incarnato in noi il principio enunciato nella parola di vita del mese di novembre 2014, fa capire che chi abbia tentato di vivere al di fuori della cristianità, non vi è riuscito come il sottoscritto, perchè tutto ciò che l’uomo ha fatto dopo l’avvento di Cristo è una derivazione della Sua spiritualità.

  • Buen dia: Hace varios años que estamos con mi marido en lista de adopción en nuestro país pero no hemos podido concretar nuestro anhelo de ser padres. Hoy me llega a través de una amiga un articulo de unos padres felices que adoptaron gracias a Uds. quisiera por favor saber si nosotros podemos anotarnos?
    Gracias

    • Buen día Wilson!
      Para recibir en tu correo la Palabra de vida del mes, puedes inscribirte al “Boletín Focolar”.
      Lo encuentras en la página principal, abajo a la izquierda.
      Saludos!

    • Deixe uma resposta

      O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *