7 de dezembro: um “Sim” de 1943 até hoje

Ela disse (pergunta em espanhol): « “Pode nos contar o que sentiu no seu coração quando você foi comprar o leite?”».

«Oi, Chiara, sou Daniele e venho de Turim. “O que Jesus lhe disse naquele dia em que você foi comprar o leite para a sua mãe?” Esta pergunta é de Pedro do Brasil».

Chiara: Então me perguntam o que aconteceu quando eu fui comprar o leite.

A história foi assim. Estávamos em casa: eu, duas irmãzinhas e a minha mãe. Era inverno e fazia muito frio. A minha mãe disse às minhas irmãzinhas, pois eu estava estudando: “Crianças vão comprar o leite!”. E uma delas disse: “Não”, porque estava cansada; a outra irmãzinha disse: “Não”, porque estava cansada.

Então eu, embora tivesse que estudar, senti um grande impulso a fazer um ato de amor e disse: “Vou eu, mãezinha, comprar o leite com a garrafa!”. E fui.

Quando eu estava no meio do caminho, exatamente num lugar que se chama “Nossa Senhora Branca” (ali está escrito, não sei se todos veem), senti dentro do meu coração, não com os ouvidos mas no coração, como se Jesus me dissesse: “Doe-se toda a mim; seja toda minha; doe-se toda a mim”. Eu respondi: “Sim”! E experimentei uma grande, grandíssima alegria.

Depois compreendi que, quando fazemos atos de amor, acontecem coisas maravilhosas. Eu fiz este ato de amor de ir comprar o leite e Jesus me chamou, me chamou para segui-lo sempre. Esta é a resposta..

«Olá, Chiara. Eu me chamo Estêvão. “Como você se doou a Deus?” Esta pergunta é de Mário da Colômbia”  “Quando você desposou Jesus o que sentiu no coração?” Esta pergunta é de Mariela do Paraguai».

Chiara :Então devo explicar o que aconteceu quando eu me doei toda a Deus, quando desposei Deus.Aconteceu assim. Era uma manhã fria também aquela e estava caindo uma chuva que não imaginam. A minha sombrinha estava aberta, mas devia empurrá-la contra o vento, contra a tempestade, contra tudo. Parecia que o demônio não quisesse que eu me consagrasse a Deus, pois ele sabia que ia nascer o Movimento. Então ele tentava me impedir de fazer aquele ato que eu queria fazer, mas continuei a caminhar com coragem.

Quando cheguei perto da igreja onde eu devia entrar para doar-me toda a Deus durante a Missa, o portão se abriu sozinho. Ali tive a impressão de que Deus me abraçasse, que abrisse o seu coração para que eu entrasse.

Perto do altar prepararam um genuflexório para mim. Então eu me sentei, assisti a Missa e na hora da comunhão disse a Jesus: “Sou toda tua”.

O que experimentei no meu coração naquele momento? Uma enorme felicidade, porque sabia que desposava Deus e pensei: “Mas se eu me casei com Deus o que pode acontecer? Deus é  todo-poderoso, Deus é grande, é infinito. O que vai acontecer?” Eu não sabia que ia nascer um Movimento no mundo inteiro. Mas Deus me fez entender que aconteceria algo grande.

Depois voltei para casa. A minha mãe e o meu pai não sabiam de nada; as minhas irmãs e o meu irmão também não sabiam. Pelo caminho, numa praça, encontrei um senhor que vendia flores. Eu tinha pouco dinheiro no bolso, só algumas moedas. Peguei o que tinha, comprei três cravos vermelhos e, quando cheguei em casa, coloquei-os diante do crucifixo. Isso foi tudo.

O Movimento começou assim. Depois de mim vieram muitas, muitas outras pessoas e também vocês.

Chiara Lubich

Texto

Vídeo em italiano e Inglês

No comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *