O Gen Rosso no Uruguai


gen-rosso-Montevideo«A experiência mais importante vivida nestes dois dias com o Gen Rosso foi ver se realizar o meu sonho: sentir-me forte, carregada, sem necessidade de usar a violência», é a expressão de Verônica, uma entre os 200 adolescentes que participaram dos três dias de workshops organizados pela banda internacional, na sua passagem por Montevidéu (Uruguai), numa tournée que inclui também a Argentina, Bolívia e Paraguai. Promotor da iniciativa, a Fazenda da Esperança.

«Fortes sem violênciaexplicam os artistas do Gen Rosso – é um projeto endereçado a adolescentes e jovens para uma formação à cultura da paz, da legalidade; prevenção ao expansivo fenômeno da violência nas escolas nas suas várias formas, da vingança, do bulismo, do suicídio juvenil, do incômodo juvenil e da dispersão escolar».

Já experimentado com êxito positivo em várias nações, este projeto também em Montevidéu envolveu cerca de 200 adolescentes e jovens de áreas de risco da capital uruguaia. Uma destas associações é o Centro Nueva Vida : «Lembro de quando chegamos nesta área de periferia, em março de 2001 – conta Luis Mayobre, diretor desde o início  –; fomos recebidos com pedradas dos adolescentes. Ver os nossos jovens hoje no palco, em plena ação, junto com muitos outros coetâneos e lançando uma mensagem de não violência, me comoveu».

De fato, a grande novidade do projeto artístico “Fortes sem violência” está justamente no envolvimento de adolescentes e jovens que, após os workshops de dança, música, cenografia e preparação junto com os artistas, sobem juntos em cena e se tornam todos protagonistas.

gen-rosso-Montevideo_b«Impressionante! Foi maravilhoso – confidencia Laura, ainda tomada pela emoção –. Foram realizados dois concertos, nos dias 21 e 22 de maio, com a sala do Teatro Clara Jackson (1.200 lugares) superlotada, uma coisa pouco comum por estas nossas partes; e não se distinguiam os nossos adolescentes dos artistas do Gen Rosso: estavam plenamente integrados». Laura viu crescer estes jovens e conhece bem o grande trabalho que o Centro Nueva Vida dos Focolares desenvolve junto com outras instituições da região, para dar aos jovens perspectivas de um futuro positivo, longe das drogas e outros perigos.

O espetáculo, Streetlight”, ambientado na Chicago dos anos 1960, conta a história verdadeira de Charles Moats, jovem afro-americano dos Focolares, morto por uma gangue rival, por causa do seu empenho pela construção de um mundo mais unido. Charles com a sua escolha da não-violência marcará o seu destino. Porém a sua coerência até o extremo fará com que seus amigos descubram horizontes novos e impensados para a vida deles.

«Frases do tipo “se você quer, pode”, “o amor vence tudo”, “o amor pode tudo”, “se você quer conquistar uma cidade para o amor, reúna os amigos que pensam como você…” – continua Laura –, parecia que caíssem como pequenas gotas que irrigavam os corações dos presentes. Tudo expresso com uma tamanha força que abalava a todos. Havia uma grande empatia entre o palco e o público. Eu convidei uma amiga que, depois de pouco tempo, chorava comovida. Creio que Deus tenha batido forte às nossas portas».

A imprensa uruguaia, de forte característica laica, se fez eco do insólito evento. “200 jovens uruguaios se preparam em intensos workshops para uma apresentação musical, junto com o grupo internacional Gen Rosso”, o título não desprovido de orgulho de um dos muitos jornais da capital.

«Feliz por ver o meu filho no palco! – escreve a mãe de um dos adolescentes que se tornaram artistas –. Agradeço o Centro Nueva Vida que sempre visou lhe dar as oportunidades para fazê-lo crescer como pessoa». E Patty: «Aquele “se você quer, pode” ficará marcado com fogo em cada um destes adolescentes e de todos os presentes. Obrigada! Vocês carregaram as nossas baterias e transmitiram uma energia contagiosa».

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *