JMJ 2016 e a aventura dos jovens de Verona


gruppo 1Da diocese de Verona (Itália) eram cinco ônibus com jovens de 17 anos, com destino à Polônia, acompanhados por um sacerdote, animadores e famílias. O acampamento que os esperava em Cracóvia, no contexto da JMJ, era direcionado especialmente a eles. No grupo havia também alguns Gen 3, entusiasmados por fazerem uma experiência desse tipo.

«Uma etapa da viagem estava prevista para o dia 22 de julho em Munique – conta Pe. Stefano Marcolini, dos Focolares, um dos sacerdotes que acompanhava o grupo -, para visitar o ex-campo de concentração nazista de Dachau. À noite, voltando para Munique decidimos fazer um giro turístico pela cidade, sem saber que esta teria se tornado palco de um atentado terrorista. Graças a Deus não estávamos próximos ao centro comercial onde acontecia o tiroteio, mas houve uma tal confusão que toda a cidade (metrô, bares e locais públicos) estava tomada pelo pânico. Havia muito medo e era grande a dificuldade para nos reencontrarmos. Ainda bem que funcionavam os celulares e o Google maps. Finalmente, às três da manhã, estávamos todos juntos, generosamente recebidos pela igreja local que nos hospedava, oferecendo, além de tudo um abundante café da manhã. Tendo contatado o Ministério das Relações Exteriores italiano, porém, recebemos a ordem de voltar à Itália, já que o nosso grupo era formado por menores».foto 1

Mas os jovens não se davam por vencidos. Encorajados pelas palavras de convite do Papa Francisco para a JMJ: “Não lhes deixem roubar a esperança”, de volta à Itália desejaram da mesma forma participar de um “camping-escola” – aquele que teriam feito em Cracóvia – que o bispo, velozmente conseguiu montar num bonito local nas montanhas.

«Tendo sabido da aventura deles, o Papa encorajou os jovens a não se renderem e disse que esperava por todos na JMJ. Três deles, acompanhados por um sacerdote, foram convidados a participar de um festival dos jovens italianos, em Cracóvia. E foram eles os escolhidos, junto com outros jovens, para fazer ao papa uma pergunta, numa conexão internet, precisamente sobre os fatos ocorridos em Munique».

«Respondendo ao convite pessoal do Papa – continua pe. Stefano – terminado o acampamento vamos viajar novamente de ônibus para a Polônia, para chegar a tempo de participar, no sábado, dia 30, pela manhã, de uma audiência privada com ele. Mas não só. Para o grande encontro do sábado à tarde, para o qual são esperados 2 milhões de jovens, os de Verona receberam o ingresso para sentar-se na primeira fila! E tudo isso porque, como diz Ricardo, um dos Gen 3, “nós não deixamos que nos roubassem a esperança!”».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *