Palavra de Vida – Outubro de 2017


Estando preso, provavelmente em Éfeso, por causa de sua pregação, o apóstolo Paulo escreve uma carta à comunidade cristã da cidade de Filipos, na Macedônia. Foi justamente ele o primeiro a levar o Evangelho àquela cidade; e muitas pessoas creram, empenhando-se com generosidade na nova vida e testemunhando o amor cristão inclusive quando Paulo teve de partir dali. Essas notícias lhe dão uma grande alegria e por isso a sua carta manifesta grande afeto pelos filipenses.
Então ele os encoraja a seguir adiante, a crescer ainda mais, seja individualmente, seja enquanto comunidade, e por isso lhes recorda o seu modelo, do qual devem aprender o estilo de vida evangélico:

“Haja entre vós o mesmo sentir e pensar que no Cristo Jesus.”

E qual é esse “sentir e pensar”? Como é possível conhecer os desejos profundos de Jesus, para poder imitá-lo?
Paulo o entendeu: Cristo Jesus, o Filho de Deus, esvaziou-se a si mesmo e desceu em meio a nós: se fez homem, totalmente a serviço do Pai, para dar-nos a possibilidade de nos tornarmos filhos de Deus .
Realizou a sua missão pela sua maneira de viver durante toda a sua existência terrena: rebaixou-se continuamente para ir ao encontro de quem era menor, fraco, inseguro, a fim de reerguê-lo e fazer com que, enfim, se sentisse amado e salvo: o leproso, a viúva, o estrangeiro, o pecador.

“Haja entre vós o mesmo sentir e pensar que no Cristo Jesus.”

Para reconhecer e cultivar em nós os sentimentos de Jesus, reconheçamos antes de mais nada em nós mesmos a presença do seu amor e o poder do seu perdão; depois, olhemos para Ele, assumindo como nosso o seu estilo de vida, que nos convida a abrir o coração, a mente e os braços para acolher cada pessoa tal como ela é. Evitemos todo e qualquer julgamento com relação aos outros; pelo contrário, deixemo-nos enriquecer pelo que há de positivo nas pessoas que encontrarmos, mesmo se isso estiver escondido por um cúmulo de misérias e de erros e essa busca nos parecer “perda de tempo”.
O sentimento mais forte de Jesus que podemos assumir como nosso é o amor gratuito, a vontade de nos colocarmos à disposição dos outros com os nossos pequenos ou grandes talentos, para construir corajosamente e concretamente relacionamentos positivos em todos os nossos ambientes de vida. É saber enfrentar também as dificuldades, as incompreensões, as divergências com espírito de mansidão e com a determinação de buscar os caminhos do diálogo e da concórdia.

“Haja entre vós o mesmo sentir e pensar que no Cristo Jesus.”

Chiara Lubich, que por toda a vida se deixou guiar pelo Evangelho e experimentou a sua potência, escreveu:
“Imitar Jesus significa compreender que nós, cristãos, temos sentido se vivermos para os outros, se concebermos a nossa existência como um serviço aos irmãos, se basearmos a nossa vida sobre estes fundamentos. Então teremos realizado aquilo que Jesus mais valoriza. Teremos penetrado no âmago do Evangelho. E seremos realmente felizes.”

Letizia Magri

7 Comments

  • Carissimi, sono un Volontario di Bari, ogni mese invio a circa 300 persone la PdV in pps che ricavo dal sito del Santuario di San Calogero. Purtroppo viene messa in rete molto dopo il primo del mese, non riesco a mettermi in contatto nè con Don Placido nè con Anna Lollo. Mi potete fornire le loro e-mail. Grazie.

  • Gostaria de receber todos os meses a Palavra de Vida.
    Participei do Movimento Focolares.Grupo Gen.Na cidade de Piraju,nos anos 80.Qdo era apenas uma adolescente.
    Fiquei afastada do Movimento alguns anos..
    Hoje vendo um vídeo do Gen Rosso em Aparecida do Norte.Senti o meu coração arder aquela mesma chama que sedia no meu coração adolescente.Fui ao Google pesquisar sobre o Movimento e senti a vontade de entrar em contato e pedir p receber a Palavra de Vida todos os meses.Onde moro agora não tem

  • Grazia mille per il comento. Stavo rifletendo pero come mai non rimane tanto facilmente impresso nella memoria, faccio fatica a tirare conclusione concreta per la vita… Non so se un po troppo astrato, secco il modo di esprimersi? Senza trasmettere anche il sentimento, emozione che rende piu mangiabile il contenuto? Mi pare che il testo spesso e’ un concentrato forte, che non sempre facile denucleare. GRAZIE comunque!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *