Atenção, gravar, ação


Nos pampas argentinos, “Lia” continua a atrair jovens de todas as partes do mundo. A Mariápolis permanente do Movimento dos Focolares, dedicada a Lia Brunet, uma das pionieras dos Focolares na América do Sul, comemorou recentemente, apesar do frio invernal de julho, o 50° aniversário da sua fundação. As portas da Mariápolis reabriram-se, num setembro de clima mais temperado, que preanuncia a estação mais quente, com uma proposta original, dirigida aos jovens: o convite a tornarem-se protagonistas da própria vida, “até o último minuto”. «Esta expressão – contam diretamente da Mariápolis Lia – foi-nos inspirada por Guillermo Curti, um focolarino sacerdote morto repetinamente no início do ano. Para todos nós, especialmente para os jovens, Guillermo foi um exemplo de fidelidade e de amor até o último instante».

Nos dias 22 e 23 de setembro, a Mariápolis acolheu 800 jovens, dos quais 350 chegaram no primeiro dia e os outros 450 no dia seguinte. Eram provenientes do Paraguai, do Uruguai e da Argentina. «No primeiro dia, dividiram-se por grupos de acordo com o país de proveniência e prepararam stands, distribuídos em todo o território da Mariápolis, para apresentar a própria cultura e estabelecer um contato mais pessoal. À noite houve uma apresentação de danças e manifestações folclorísticas muito apreciadas. Os jovens, como verdadeiros protagonistas, comprometeram-se com entusiasmo na preparação do segundo dia, domingo, quando chegaram ainda outros jovens provenientes das várias províncias argentinas».

O programa do dia 23 de setembro previa que os participantes fossem recebidos num verdadeiro estúdio cinematográfico, onde realizaram-se as gravações de diversos filmes, de épocas diferentes (anos 70,80, 90, 2000 e 2010) e de gêneros variados (suspense, musical, ficção científica, drama). «As cinco décadas representavam o cinquentésimo aniversário da cidadela. Em cada filme aprofundava-se um desafio da vida dos jovens nos dias de hoje: as dependências, o consumismo, as escolhas de vida, os meios de comunicação, com a representação de experiências de vida e histórias sobre estes temas. Ao final, a premiação e os discurso de encerramento, assistidos não apenas pelos jovens presentes na cidadela, mas também em outros 200 pontos coligados em direta, com milhares de visualizações que continuaram nos dias sucessivos. Ao término do final de semana uma grande alegria reinava entre todos. Tinham feito, mesmo se com muitas dificuldades, uma experiência de unidade profunda que mudou a nossa vida, fazendo-nos experimentar a presença, entre nós, de Jesus. Segunda-feira, depois de uma longa noite de sono, todos nós, habitantes da Mariápolis Lia, jantamos juntos, como uma única família. E de novo cantamos e dançamos. Era muito grande a alegria por aquilo que vivemos».

No comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *