Uma Mariápolis para a Europa

Copia di Progetto senza titolo 1 2

Pela primeira vez o meeting histórico dos Focolares é organizado em nível continental e será a Europa a ser a pioneira. De 14 de julho a 11 de agosto próximos, nas Dolomitas italianas, são esperadas 3.000 pessoas.

Pela primeira vez em 70 anos, os Focolares organizam o seu encontro histórico, a “Mariápolis” (cidade de Maria), para um continente inteiro, a Europa. A Mariápolis europeia que tem como título e slogan “Mirar alto” se realizará de 14 de julho a 11 de agosto de 2019 em Fiera di Primiero, nas Dolomitas italianas, precisamente onde esta experiência começou, inspirada pelo carisma da unidade, 70 anos atrás.

TonadicoSegundo os organizadores, o evento está suscitando muito interesse. Em poucas semanas, as reservas antecipadas superaram de longe os alojamentos disponíveis. No dia 31 de janeiro, data de encerramento das pré-inscrições, se registraram quase 3.000 pessoas. Portanto, estarão presentes cerca de 600 pessoas por semana.

A Mariápolis europeia se coloca sobre o plano de fundo de um continente cada vez mais fragmentado. “O nosso sonho é o de ter um evento que enfatiza a beleza do continente europeu em toda a sua diversidade, onde a riqueza de cada cultura emerge no esplêndido tapete que é a Europa”, disse Peter Forst dos Focolares. “Acreditamos que através da partilha e de um cada vez maior conhecimento dos nossos testemunhos, das nossas culturas e da nossa história podemos lançar as bases para uma Europa mais unida”.

A Mariápolis é um encontro em que os cidadãos de uma cidade temporária procuram construir um novo tipo de sociedade humana baseada nas relações, como numa família: fraternidade e respeito recíproco estão no centro destas férias. Os participantes serão hospedados em estruturas hoteleiras, institutos religiosos, casas e apartamentos alugados no bonito vale do Primiero.

Um time composto por pessoas provenientes de diferentes países europeus preparou o programa das quatro semanas, que compreenderá uma série de inputs temáticos, momentos de intercâmbio cultural, workshops e mesas redondas. “Esperamos que haja algo para todos! E, naturalmente, sejam também umas férias. Os participantes terão ampla escolha: passeios, excursões e outros eventos culturais”, comentou Ana Siewniak do Reino Unido, membro do comitê científico. Disse ao site CatholicIreland.net que um dos objetivos da Mariápolis europeia é o de ter “espaços onde intercambiar a riqueza das nossas culturas e das nossas experiências”, por exemplo aprendendo os respectivos repertórios musicais ou danças nacionais.

Numa recente entrevista, Maria Voce, presidente do Movimento dos Focolares, descreveu a sua primeira experiência da última Mariápolis em Primiero, em 1959. “Eu me lembro bem, dormíamos nas salas de aula das escolas, todos os colchões estavam pelo chão. Havia uma cadeira entre cada cama e isto constituía a decoração para todos os participantes. Não havia armários, não havia espelhos e, no entanto, nada de tudo isto comprometeu a experiência da Mariápolis”.
Mesmo se a Mariápolis era materialmente pobre, continua Maria Voce, era “muito rica de graças espirituais. O divino construído entre todos resplandecia entre as pessoas da Mariápolis, envolvia os participantes”.

Entre as 12.000 pessoas que passaram pela Mariápolis de Fiera di Primiero em 1959 havia pessoas de todas as camadas sociais, explica ainda a presidente dos Focolares, e de muitos países. “Os pobres e os ricos chegaram graças a uma grande comunhão de bens entre todos”. “Era realmente o encontro de uma cidade rica de relações e de amor recíproco. As pessoas eram todas iguais e o amor dava a todos a mesma vida divina e alegria plena”.

Susan Gately

Fonte: Catholicireland.net
Para informações: mariapolieuropea.org

2 Comments

  • Io ho avuto la “Grazia” di essere stato in Mariapoli a Tonadico dal 1956 al 1959 e, negli anni precedenti anche a Vigo di Fassa, per cui in certo senso sono cresciuto nell’ambiente mariapolita. Se devo dire quale è stata la mia esperienza , posso solo riferire i fatti o la cronaca di quei soggiorni, poiché l’esperienza spirituale , il rapporto con Dio , rimane indescrivibile per quanto è distante dall’umano. Con le dovute proporzioni, mi ritrovo tanto nel racconto dei discepoli di Emmaus quando affermavano ” non sentivi ardere in petto…”, ebbene questa è stata l’esperienza che in me rimarrà irripetibile.

  • Abito a pochi chilometri sulla strada per Fiera, che emozione sapere che i Mariapoliti passeranno ancora, come fecero allora, quando non ero ancora nata !

    • Deixe uma resposta

      O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *