Centenário: inaugurada a exposição “Chiara Lubich Cidade Mundo”

Copyright - Domenico Salmaso CSC


Abertas em Trento as celebrações dos 100 anos do nascimento da fundadora dos Focolares. A Província autônoma de Trento atribuiu a Maria Voce o “Sinete de São Venceslau”

“Chiara Lubich, Cidade Mundo” é o título da exposição que no dia 7 de dezembro, foi inaugurada nas “Galerias” de Trento, um evento que abriu o Centenário do nascimento da fundadora do Movimento dos Focolares. A exposição, sob o alto patrocínio do Presidente da República italiana, é promovida pela Fundação Museu Histórico do Trentino em colaboração com o Centro Chiara Lubich.

O Diretor da Fundação Museu Histórico, Giuseppe Ferrandi, introduziu e coordenou os discursos do evento inaugural, do qual emergiu a figura de Chiara Lubich, como personalidade de grande respiro, com profundas raízes em terra trentina, na sua história, cultura e tradições, mas que, através do seu carisma, soube falar uma linguagem universal; superou toda fronteira, geográfica e cultural, para levar uma mensagem de paz e fraternidade. A exposição oferece um percurso envolvente e interativo, que acompanha o visitante a conhecer Chiara Lubich, com o convite a se comprometer na atualidade para continuar a concretizar aqueles valores que caracterizaram a sua vida.

A Província autônoma de Trento quis condecorar Maria Voce, Presidente dos Focolari, com o “Sinete de São Venceslau” “por ter sabido interpretar – se lê na motivação – com empenho incansável os valores da unidade e da paz”. “Estou realmente agradecida e comovida por esta homenagem – disse Maria Voce – que, dado que evidencia os valores da personalidade de Chiara Lubich e dos Focolares, a sinto para todo o Movimento”.

“Duas são as palavras que me vêm em mente quando penso em Chiara Lubich: carisma e profecia”, disse Giorgio Postal, Presidente da Fundação Museu Histórico do Trentino por ocasião da inauguração da exposição. “Interrogar-nos sobre Chiara Lubich e colocá-la na história se torna, portanto, um modo para enfrentar os desafios que estão diante ne nós, como sociedade e como indivíduos”.

“Estamos orgulhosos por participar deste percurso – disse o Presidente da Província autônoma de Trento, Maurizio Fugatti – que nos permite conhecer e aprofundar a grande mensagem de Chiara Lubich, uma figura excepcional, uma mulher e uma trentina que conseguiu levar a sua extraordinária mensagem de paz e de unidade ao mundo inteiro”.

D. Lauro Tisi, Arcebispo de Trento, convidou todos neste ano e, sobretudo o Movimento dos Focolares, a fazer com que “se conheça o Deus de Chiara para revirar a narração de Deus, este Deus da tutela irrevogável do outro”. “Desta visão de Deus amor –concluiu – nasce uma visão positiva sobre a criação, sobre a natureza, sobre o homem e sobre o corpo”. Um convite que foi logo acolhido com adesão pelo copresidente do Movimento dos Focolares, Jesús Morán, que recordou o lema do Centenário “Celebrar para encontrar” Chiara Lubich, uma mulher que “encarnou a unidade em 360° e nos deu o mapa de navegação do terceiro milênio”.

“Este Centenário será ocasião extraordinária para descobrir muitas Chiara”, disse o prefeito de Trento Alessandro Andreatta. “Aquela do encontro, do diálogo, da unidade. Mulher de fé, de serviço, de esperança, aquela que está no coração da Igreja e da humanidade”.
E Lorenzo Dellai, ex Prefeito de Trento, que em 1995 atribuiu a Chiara Lubich o sinete da cidade, recordou como ela exortou os trentinos a estarem à altura da alma desta cidade. “Eu acho que deste carisma, desta profecia, hoje, haja cada vez mais necessidade”.

O sen. Stanislao Di Piazza, subsecretário de Estado do Ministério do Trabalho e das Políticas sociais, trouxe a saudação do Governo italiano: “Chiara foi uma pessoa que amou particularmente a Itália”. Recordou como tinha encontrado políticos de todos os partidos para propagar o valor da fraternidade, a fim de que se pudesse “criar um novo modelo político”.

Além disso, trouxeram uma saudação aos presentes os representantes das exposições que se abrirão no mundo no decorrer do ano: em Cidade do México, Sidney, Mumbai, São Paulo, Jerusalém, Argel e Nairóbi. Um projeto que obteve o Patrocínio do Conselho da Europa. As exposições reproduzirão aquela trentina, mas cada uma terá uma sua peculiaridade: daquela de São Paulo, onde será central o projeto por uma Economia de Comunhão lançado no Brasil por Chiara Lubich, àquela de Sidney, terra multicultural; daquela de Jerusalém, cidade que talvez mais do que qualquer outra necessita de paz e fraternidade, àquela na Índia representada pela mensagem da consulesa italiana em Mumbai Stefania Constanza.

Presentes à inauguração também Veronica Cimino, vice-prefeita interina de Rocca di Papa (Roma); Francesca Franceschi, assessora do Município de Primiero San Martino de Castrozza; Alba Sgariglia e João Manoel Motta, corresponsáveis do Centro Chiara Lubich e os curadores da exposição Giuliano Ruzzier, Anna Maria Rossi e Maurizio Gentilini, autor, este último, da recente biografia da fundadora dos Focolares. Numerosos os parentes de Chiara Lubich presentes à inauguração.
_________
A exposição nas “Galerias” estará aberta até o dia 7 de dezembro de 2020 (de terça-feira a domingo, das 9h00 às 18h00) e a exposição pode ser desfrutada com suportes linguísticos nas principais línguas europeias. O ingresso é gratuito.
Paralelamente às três seções da exposição montadas nas “Galerias” em Trento, há uma seção destacada que foi inaugurada no dia 8 de dezembro de 2019 às 17h00 nas salas do Palácio Scopoli, em Tonadico, no Município de Primiero San Martino de Castrozza (Tn). Esta seção é dedicada especialmente aos anos 1949-1959: da profunda experiência espiritual vivida por Chiara Lubich em Primiero no verão de 1949 às Mariápolis de verão que ali se realizaram até 1959.

Anna Lisa Innocenti

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *