Vamos a Deus por intermédio do homem


As inseguranças decorrentes dos desafios mundiais como a globalização, as mudanças climáticas e a pandemia do coronavírus parecem despertar em muitos uma nova necessidade de vida espiritual. Mas uma espiritualidade para estes tempos – afirma Chiara Lubich no texto a seguir – se caracteriza por uma forte dimensão comunitária.

Uma das características mais originais da Espiritualidade da Unidade reside na sua dimensão comunitária. Sabemos que, nestes dois mil anos da vinda de Jesus, a Igreja viu florescer em seu seio, uma após a outra, e às vezes concomitantemente, as mais belas, as mais ricas espiritualidades, de modo que a Esposa de Cristo se viu adornada com as pérolas mais preciosas, com os brilhantes mais raros que formaram e haverão de formar ainda muitos santos. Em todo esse esplendor, sempre houve uma característica constante: é a pessoa sozinha, principalmente, que se encaminha a Deus. […]

Mas hoje os tempos mudaram. Na época atual, o Espírito Santo chama com força os homens a caminhar ao lado de outros homens, aliás, a ser, com todos os que assim quiserem, um só coração e uma só alma.

O Espírito Santo impeliu o nosso Movimento, desde o seu início, a dar essa expressiva guinada em direção aos homens. Segundo a Espiritualidade da Unidade, caminhamos para Deus passando justamente pelo irmão.  “Eu – o irmão – Deus ”, dizemos. Vamos a Deus junto com o homem, junto com os irmãos, aliás, vamos a Deus por intermédio do homem. […] Portanto, é uma era, a nossa, em que a realidade da comunhão vem em plena luz, em que se procura, além do Reino de Deus nos indivíduos, também o Reino de Deus em meio às pessoas.

Além disso, as espiritualidades mais propriamente individuais geralmente manifestam exigências precisas em quem nelas mais se empenha: a solidão e a fuga das criaturas para alcançar a união mística com a Trindade dentro de si; a exigência do silêncio para proteger a solidão; o uso do véu e da clausura, além de um hábito especial, para se manter separado dos homens; o exercício das mais diversas penitências — às vezes duríssimas —, de jejuns e vigílias, para imitar a paixão de Cristo.

No caminho da unidade, conhecemos também a solidão e o silêncio, para pôr em prática, por exemplo, o convite de Jesus a se enclausurar no próprio quarto para rezar, e fugimos dos outros se nos levam ao pecado, mas, em geral, acolhemos os irmãos, amamos Cristo no irmão, em cada irmão, Cristo que pode estar vivo nele ou pode renascer inclusive pela ajuda que nós lhe oferecemos. Queremos nos unir com os irmãos em nome de Jesus, a fim de ter garantida a sua presença em nosso meio (cf. Mateus 18,20).

Nas espiritualidades individuais, portanto, estamos como em um magnífico jardim (a Igreja) e observamos e admiramos principalmente uma flor: a presença de Deus dentro de nós. Numa espiritualidade coletiva, amamos e admiramos todas as flores do jardim, cada presença de Cristo nas pessoas. E a amamos como a sua presença em nós. […]

Chiara Lubich

 De: Uma espiritualidade de comunhão. In: Chiara Lubich, Ideal e Luz, São Paulo 2003, pag. 45.

3 Comments

  • Se non amiamo l’uomo che vediamo non possiamo amare Dio che non vediamo. E’ bugiardo chi dice di amare Dio e odia suo fratello. Nel fratello c’è Dio, se non lo amo, non amo Dio che è in lui, come è in me e in tutti. “Qualunque cosa facciamo ad un fratello, Dio la ritiene fatta a Se'”. Ne abbiamo la conferma dalla gioia che viene nel cuore quando amiamo il fratello. Nei giardini vicino casa, c’è un povero che vive steso su una panchina, mi sono avvicinata a lui, donandogli da mangiare e facendogli delle domande per conoscerlo e fargli sentire la mia amicizia. Ogni giorno lo cerco, sento un vero trasporto verso di lui, sento la presenza di Gesù che mi chiede di amarlo in quel povero!

  • ciao,Jesus is in everyone, so we need to Jesus in every person even your self, because you cant love Jesus and dont love your neighbor ,because Jesus is their. and prayer to is essential to our life, and we should try ans stay away from sin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *