Graças à contribuição da Coordenação de Emergência, da Associação Famílias Novas e da Associação Mundo Unido do Movimento dos Focolares, a Fazenda destruída pela enchente de 2019 foi reconstruída.

“A experiência após a tragédia foi dura, mas nos acompanhou a certeza de que tudo aconteceu para fazer renascer estes lugares e esta comunidade”. Ildo Foppa, voluntário do Movimento dos Focolares, responsável pela missão da Fazenda da Esperança em Dombe, Moçambique, fala sobre a enchente que atingiu o país em março de 2019 e sobre os frutos mais preciosos nascidos do compromisso conjunto pela reconstrução.

“O relacionamento com a Igreja local tornou-se cada vez mais forte, desde o bispo até os sacerdotes, com as organizações que vieram trazer socorro e com toda a comunidade da região. Encontramos muitas pessoas e recebemos muitas promessas de ajuda”. Da devastação e da necessidade de reconstruir, nasceu a oportunidade de criar trabalho para muitas pessoas: “demos vida a cooperativas, cada uma composta de dez famílias, e assim para muitos foi possível começar de novo, vivendo do seu trabalho para construir o próprio futuro”.

Quase dois anos após a enchente, os trabalhos de reconstrução – nos quais participaram a Coordenação de Emergência, a Associação Famílias Novas e a Associação Mundo Unido do Movimento dos Focolares, junto com a Fazenda – viram serem reparados o abrigo da creche, o hospital, as quatro casas de acolhimento, a escola secundária e a Igreja. Foram reconstruídas habitações e banheiros e foi preparado um galpão para a construção de blocos de concreto que serão usados para construir as moradias definitivas para as famílias.

Na primeira fase da emergência, rações alimentares foram distribuídas às pessoas que haviam perdido suas casas e foram construídas 550 cabanas com latrinas temporárias para famílias desabrigadas. Posteriormente, foi implementado um programa de apoio para criar fontes de renda e subsistência para a população. Em particular, 150 famílias receberam ajuda direta no conserto de suas casas e na compra de sementes, fertilizantes e combustível para tratores para retomar e melhorar a produção agrícola. Foi também construída uma oficina de carpintaria para oferecer treinamento e trabalho para mais de 60 jovens hóspedes da Fazenda, e foi construído um moinho servindo cerca de 330 famílias. As intervenções foram concluídas apesar do fato de que nos últimos meses Moçambique também sofreu muito com a propagação do contágio do Covid 19.

Nesses links de Amu e Afn pode-se acompanhar a situação na região.

Claudia Di Lorenzi

Se quiser dar a sua contribuição para ajudar aqueles que sofrem os efeitos da crise global da Covid, vá a este link

2 Comments

  • Ho gioito nel leggere per caso notizie di aiuti che riguardano il Mozambico .In genere ricevo solo qualche aggiornamento dai Cappuccini trentini..Sono una volontaria di Napoli .Grazie ! Sarei contenta di essere da voi aggiornata.Grazie Mclara

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *