Imigrantes na América latina: uma história que vivemos hoje


A ajuda das comunidades do Movimento dos Focolares nos países da América Latina: gestos concretos para ser “todos irmãos”, assim como o papa Francisco invocou na última encíclica.

No Peru e em outros países latino-americanos, se assiste a uma contínua chegada de imigrantes, sobretudo venezuelanos, mas também cubanos, centro-americanos, haitianos, árabes. As comunidades do Movimento dos Focolares se empenham em ajudar essas pessoas todos os dias.

“A nossa aventura no Peru começou poucos dias antes do Natal de 2017”, conta Silvano Roggero, focolarino no Peru. “Convidamos alguns venezuelanos que tínhamos conhecido para almoçar em casa. No começo, eram cinco, depois nos mudamos para o Centro ‘Juan Carlos Duque’ porque os convites superavam 120 pessoas!

Eu me lembro do encontro de Geno e Karlin e seus três filhos pequenos. Agachada na calçada, ela vendia balas. Geno escutou uma voz dentro de si: ‘É Jesus!’. Voltou e comprou algumas balas e a convidou para almoçar. Naquele domingo, ela foi com as três crianças e também levou sua irmã com seus dois filhos!”

Na Colômbia, perto de Bogotá, Alba, que migrou da Venezuela em 2014, virou um ponto de referência para os Caminantes (imigrantes) que entram todos os dias.

Um dia, ela ainda não tinha almoçado quando passou uma mulher grávida com o companheiro e eles precisavam fazer uma consulta. No dispensário, havia uma enfermeira muito atenta e gentil que pôde ajudá-los. Apesar do frio, da fome, da preocupação por ter deixado seus colegas voluntários sozinhos e também os filhos em casa sem almoço, Alba ficou esperando por eles. No fim da consulta, acompanhou os dois jovens pais de volta e o que aconteceu? Os Caminantes, sabendo o que Alba tinha feito por eles, juntaram uns trocados para comprar duas cartelas de ovos para ela, seus filhos e colegas! Realmente, era o cêntuplo! De quem? De quem mais precisa!

No fim de 2018, a comunidade do Movimento dos Focolares da Cidade do México se uniu com a “acolhida humanitária” das caravanas de imigrantes. Uma associação civil que se inspira no carisma do Movimento dos Focolares deu o suporte técnico e ajudou na coordenação com as autoridades. Ativaram um canal para facilitar a entrada de alimentos, roupas, produtos para higiene pessoal e dezenas de cobertores. Podemos imaginar a gratidão dos imigrantes.

O Brasil também acolheu muitos imigrantes. “A multiplicação das doações nos surpreende”, contam as comunidades locais. “Pedimos um aquecedor e de repente conseguimos muito mais. Alguém nos pede uma pia e no dia seguinte uma pessoa que não conhecemos se coloca à disposição e doa cinco.”

Um dia, um amigo foi comprar algo para nos doar. Explicou ao vendedor os motivos da compra e ficou surpreso com o desconto e a entrega grátis. Em outra ocasião, uma pessoa que não conhecíamos nos disse: “vou organizar um evento e pedirei comida para vocês para mandar a quem estiver precisando”.

Lorenzo Russo

3 Comments

  • Da mucha alegria ver a tantos que se donan para ayudar a personas que tanto necesitan y que estan lejos de su tierra y a través se ello se manifiesta la providencia de Dios

  • Hermoso reportaje, y esto se repite cada día en muchos lugares, aquí en Lima, Perú somos testigos de la Providencia Divina, es como una lluvia de bendiciones que no para, el Centro Juan Carlos Duque, del Movimento de Los Focolares vive a diario este milagro, llegan insumos, los entregamos y vuelven a llegar más.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *