Oração mundial contra o tráfico de pessoas


Dia oito de fevereiro, maratona de oração por uma economia que valoriza e cuida do ser humano e da natureza, que inclui e não explora dos mais vulneráveis.

O sétimo dia Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico de Pessoas será celebrado dia oito de fevereiro 2021, na memória litúrgica de Santa Josefina Bakita e nos propõe a refletir e aprofundar o tema e as conexões da economia no mundo contemporâneo e o tráfico de pessoas.

O Movimento dos Focolares adere a esta rede que envolve associações e parcerias em âmbito mundial, entre eles o Dicastério para a Vida Consagrada, o Pontifício Conselho de Justiça e Paz, Pontifício Conselho para os Migrantes e Povos Itinerantes, a Academia das Ciências Vaticana, a Caritas Internacionalis e muitas outras.

Queremos uma economia que não seja sustentada pelo tráfico da ilegalidade e da exploração, mas que promova a vida e a dignidade de cada pessoa e um trabalho dignificante para todas e todos.

O tráfico de pessoas existe porque mobiliza muito dinheiro garantindo lucro fácil para todos aqueles que traficam. Na verdade todos nós ganhamos um pouco com o tráfico, fornecendo bens e serviço a baixo custo.

Devemos inverter a rota e dizer não a tudo aquilo que destrói a vida.

O Dia Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico de Pessoas 2021 focaliza uma das principais causas do tráfico: o modelo econômico dominante, cujas limitações são agravadas pela pandemia de Covid-19.

E o tráfico de pessoas é parte integrante desta “economia”: as pessoas traficadas são inseridas como “mercadorias” nas engrenagens de uma globalização governada pela especulação financeira e pela concorrência “abaixo do custo”. Portanto, é necessário ter uma visão “estrutural e global” do tráfico a fim de desativar todos aqueles mecanismos perversos que alimentam a oferta e a demanda de “pessoas a serem exploradas”, pois é o coração de toda a economia que está doente.

Um aforismo atribuído a Oscar Wilde afirma que o cínico é aquele que conhece o preço de tudo e o valor de nada, assim esta economia parece ser dominada pelo cinismo: com referência a bens, serviços e pessoas, não só o mercado faz o preço, mas o que é ainda mais dramático é o preço que determina o valor. A própria empresa é vítima desta lógica, e os mercados financeiros a valorizam cada vez mais com base no preço das ações e não no valor agregado criado por seu capital humano.

O tráfico é, portanto, a ponta de um iceberg, é o espelho ampliador de um distúrbio devido a um neoliberalismo dominante baseado em uma (falsa) ideia de liberdade econômica na qual cada instância ética, social e política é alheia e um obstáculo. Ao contrário, uma economia sem tráfico de pessoas é uma economia que valoriza e cuida dos seres humanos e da natureza, que inclui e não explora os mais vulneráveis.

Como participar do Dia Mundial de Oração?

No dia 8 de fevereiro você pode acompanhar a maratona de oração no canal Youtube, dedicado à maratona de sete horas, em cinco idiomas, com testemunhos de diferentes realidades engajadas no mundo contra o tráfico de pessoas.

Para mais informações: www.preghieracontrotratta.org

Lorenzo Russo

No comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *