“Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”


Uma conferência internacional on-line, com traduções em 20 idiomas, promovida pelos Focolares destacou a contribuição da espiritualidade de Chiara Lubich para aumentar a unidade entre os cristãos.

“A vontade de Deus é o amor recíproco, portanto, para curar esta ruptura é necessário que nos amemos uns aos outros”. Com estas palavras Chiara Lubich, em 26 de maio de 1961, lançou o Centro “Uno” para a unidade dos cristãos, como uma contribuição na esfera ecumênica para “curar” a “ruptura” da divisão entre cristãos de várias Igrejas.

Aqueles que, do mundo inteiro, mais de 13.000 pessoas, participaram do encontro internacional pela unidade cristã promovido pelo Movimento dos Focolares e realizado on-line nos dias 28 e 29 de maio passado, com o título “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei” (Jo 15,12), puderam ver que a linha então indicada pelo fundador continua sendo a linha do Movimento na esfera ecumênica. (Jo 15:12), pôde ver que a linha indicada na época pela fundadora continua a ser a linha do Movimento na esfera ecumênica.  Duas, em particular, emergiram no caminho para a unidade cristã: “o diálogo da vida” e “a partilha dos dons espirituais”. Na base destes, para os membros do Movimento dos Focolares, há dois pontos da espiritualidade da unidade: a presença de Jesus no meio dos cristãos unidos em seu amor (cf Mt 18,20) e o amor levado ao extremo no grito de Jesus na cruz (cf Mc 15,34).

“O grito da humanidade hoje”, disse Margaret Karram, presidente do Movimento dos Focolares, em seu discurso, “parece ser um eco de seu próprio grito: ‘Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste? (Mc 15:34). Mas Jesus, com um ato supremo de rendição, entregou-se completamente ao Pai, colmatando cada lacuna, cada desunião possível”.  “Nele”, continuou, “encontramos a medida do amor. Quando O reconhecemos em tudo o que nos machuca, em nossos próprios limites e nos dos outros, quando é difícil ‘nos encontrarmos’ sem nos machucarmos, ainda é Ele quem nos chama a amar a Igreja do outro como se fosse nossa”.

O Cardeal Kurt Koch, Presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, também se referiu aos “dois pólos do carisma da unidade”, a unidade e Jesus abandonado. Apontou-os como a contribuição da espiritualidade ecumênica de Chiara Lubich para aumentar a unidade entre os cristãos. Declarou também que havia “recebido dela muita inspiração para minha tarefa atual”. O Cardeal transmitiu a saudação do Papa Francisco que “espera que a reflexão sobre o diálogo e a troca de dons espirituais, assim como a partilha da experiência de comunhão vivida nestes anos, seja um encorajamento para realizar diariamente a oração de Jesus ao Pai ‘Para que todos sejam um'”.

O Reverendo Ioan Sauca, Secretário Interino do Conselho Ecumênico de Igrejas disse que o amor está “no coração da espiritualidade da unidade de que Chiara sempre falou; todos nós somos abraçados pelo amor de Deus em Cristo no poder do Espírito Santo”.

O teólogo católico Piero Coda, referindo-se à presença de Jesus no meio de seus seguidores, disse: “E então será Ele, na luz e na força do Espírito, que nos guiará no caminho da unidade”. “Jesus no meio” é uma expressão cunhada por Lubich que, como lembrou a Prof. Mervat Kelly da Igreja Ortodoxa Síria, “nunca tinha sido ouvida antes”, embora vários Padres da Igreja tenham falado sobre ela. Enquanto o teólogo evangélico luterano Stefan Tobler observou que “o Movimento, querendo apoiar a jornada das Igrejas, pode conduzir a uma experiência que é a base, o alimento de toda jornada ecumênica”.

A conferência foi seguida em muitos países do mundo: com 20 idiomas em tradução simultânea, no primeiro dia o webcast ao vivo teve mais de 13.000 visualizações individuais e no segundo dia 8500. Experiências ao vivo de Cuba, México, Peru, Venezuela, Hong Kong, Filipinas, Congo, EUA, Líbano, Romênia, Grã-Bretanha, Irlanda, Itália e o projeto “Juntos pela Europa” confirmaram que o “diálogo da vida” é um caminho viável no caminho da unidade.

Outra dimensão que surgiu na conferência foi o “ecumenismo receptivo”, ou seja, o intercâmbio de dons espirituais, a descoberta dos dons que cada Igreja pode oferecer e compartilhar.

Dom Juan Usma Gómez, do Pontifício Conselho para a Unidade dos Cristãos, especialista em diálogo com a realidade carismático-pentecostal, delineou as tensões que existem dentro do cristianismo. “Gostaria que tentássemos juntos”, disse ele, “sonhar com um possível caminho entre os membros do Movimento dos Focolares e aqueles que pertencem ao Movimento Pentecostal/Carismático, identificando alguns elementos essenciais para colocá-lo em ação”.

A sessão foi enriquecida pelo pastor Giovanni Traettino, fundador da Igreja Evangélica da Reconciliação na Itália e pelo pastor Joe Tosini, fundador do Movimento João 17 nos Estados Unidos, enquanto os testemunhos da Itália de pentecostais e católicos membros do Movimento dos Focolares que trabalham juntos em projetos de solidariedade para suas cidades, validaram a fecundidade do “diálogo da vida”.

Na conclusão do encontro, Jesús Morán, co-presidente do Movimento dos Focolares, observou: “O amor mútuo entre nós cristãos é o testemunho mais forte e mais credível para o mundo ao nosso redor” e “no momento atual em que a humanidade vive, a unidade cristã é um imperativo ético”.  Afirmando que “não queremos fugir desse esforço de unidade ao qual se referiu Cardeal K. Koch, em seu pronunciameto, concluiu: “Só queremos dar prioridade ao que tem prioridade, e esta é a experiência de Deus que fundamenta toda lógica, todo discurso de pregação sobre Deus. Parece-me que nestes dias tivemos esta experiência, mais uma vez, como um imenso presente de Deus”.

Joan Patricia Back

Link para rever a transmissão de 28 e 29 maio nas diversas línguas:

https://www.youtube.com/playlist?list=PLKhiBjTNojHo9Zx4JZmSokKOePyBL4Prp

 

 

1 Comment

  • Dios continúe bendiciendo.este caminar de unidad lo cual es y será siempre indispensable para vivir como Dios quiere que lo hagamos. Sigamos adelante en esra hermosa aventura de fe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *