Albânia: uma experiência em nome da reciprocidade


A quase dois anos do forte terremoto, a comunidade do Movimento dos Focolares agradece a todos os doadores que sustentaram o país em um momento de grande dificuldade. E a comunhão de bens não para: os recursos que sobraram foram enviados a quem teve de enfrentar outras emergências.

Às 3h54 do dia 26 de novembro de 2019, um forte terremoto atingiu a República da Albânia, na região centro-setentrional. Foram 52 vítimas e mais de 2.000 feridos; os danos e desmoronamentos também foram numerosos. Mais de 4.000 pessoas tiveram de deixar suas casas. A Coordenação de Emergência do Movimento dos Focolares logo foi acionada para ir ao encontro das necessidades do país.

Durante os trabalhos preliminares, foram identificadas seis famílias em necessidade, cujas casas ficaram tão danificadas que tiveram de ser reconstruídas. Devido à pandemia, os trabalhos ficaram atrasados, mas todas as famílias puderam enfrentar o inverno em uma estrutura adequada. Hoje, cinco casas estão prontas. A única família que ainda está aguardando para ver a própria casa consertada está na espera dos documentos necessários da prefeitura.

Após a notícia do terremoto, muitos membros do Movimento dos Focolares no mundo foram acionados para ir ao encontro das necessidades da comunidade da Albânia. Foi realizada uma grande comunhão de bens organizada juntamente com a AMU (Ação por um Mundo Unido) e AFN (Ação por Famílias Novas), arrecadando doações de muitos países, entre os quais Itália, Alemanha, Suíça, Áustria e Austrália. Francesco Tortorella, da AMU, destaca: “Os efeitos se multiplicam quando agimos juntos, não como organizações singulares ou expressões do Movimento dos Focolares individuais, mas como uma realidade única”.

No total, foram arrecadados 53 mil euros, dos quais foram – e serão – usados 14 mil, para projetos de reconstrução na Albânia, incluindo os trabalhos da última casa, que serão executados assim que tiverem as licenças. O resto foi repassado às populações indígenas de Honduras, depois da destruição dos campos e palafitas dos camponeses, devido a dois furacões durante 2020. “A experiência de reciprocidade acabou envolvendo o projeto inteiro”, explica Francesco Tortorella, “todos concordaram em usar o dinheiro que sobrou para essa nova emergência”.

Uma parte dos fundos foi investida na realização de um curso sobre emoções para jovens: depois do terremoto e da pandemia, havia a necessidade de receber ajuda para controlar o estresse e a angústia, principalmente para os adolescentes. Atualmente, estão participando 25 jovens de 14 a 24 anos.

Elsa Cara, membro do Movimento dos Focolares e contadora em Tirana, capital da Albânia, conta: “Devido ao terremoto, perdi sete primos. Foi difícil, mas eu não quis ficar parada: graças às doações do Movimento dos Focolares, fui a Thumane, um dos lugares mais atingidos pelo terremoto. Como é um país de maioria muçulmana, a comunidade católica é muito pequena: decidi ir até lá toda semana, para ficar próxima das crianças, dando um curso de catecismo. Inicialmente, todos estavam em estado de choque. Agora, são um grupo unido e feliz por fazer esse percurso, e muitos já foram batizados. Tudo isso foi fruto de uma colaboração entre os Focolares, a igreja local e a Caritas.”

Alfred Matoshi, advogado de Tirana e colaborador do projeto de reconstrução, agradece aos doadores em nome de toda a comunidade do Movimento dos Focolares na Albânia: “Obrigado porque foram eles que nos permitiram ir ao encontro das famílias em dificuldade, das crianças na rua, sem casa, das pessoas que estavam chorando com o susto. Obrigado, não parem de doar, onde quer que haja necessidades”.

Laura Salerno

1 Comment

  • Grazie di cuore carissimi focolari. Grazie a voi abbiamo imparato ad essere uniti veramente…anche in condizioni esstreme, com era il terremoto o pandemia. Siete una luce ..
    Siete un raggio di amore di Dio. Grazie infinite Chiara e tutti focolarini…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *