No caminho da diversidade reconciliada. Foi este o coração do último encontro dos “Amigos de Juntos pela Europa” (IpE), evento realizado em seis de novembro passado, em Castelgandolfo (Roma). Reflexões e experiências de vida para uma trajetória de comunhão que a cada dia torna-se mais concreta.

A rede internacional dos Movimentos cristãos reuniu-se novamente neste ano de 2021: 16 membros do Comitê de Orientação de “Juntos pela Europa” (Comunidade Sant’Egídio, YMCA Alemanha, Efesia França, ENC Áustria, Movimento dos Focolares, Schönstatt, Syndesmos), além de 150 pessoas conectadas via web, encontraram-se no Centro Internacional do Movimentos dos Focolares de Castelgandolfo (Roma – Itália) para um momento de partilha e comprometimento concreto. Polarização, reconciliação e diversidade reconciliada foram os temas tratados.

Com o estímulo de várias intervenções, este dia teve a contribuição de Gerhard Prosss, YMCA (Young Men’s Christian Association – Associação Cristã de Moços), de Esslingen (Alemanha), atualmente moderador de “Juntos pela Europa”, e de Margaret Karram, presidente do Movimento dos Focolares.

No seu discurso, Pross convidou a ser “dispenseiros de esperança”: “Em meio às desordens e à crise do nosso tempo, podemos viver a esperança indestrutível do Evangelho e ser mensageiros de Deus”.

Margaret Karram, com sua mensagem de unidade em tempo de polarização, encorajou todos a tornarem-se “apóstolos do diálogo”: “Comprometer-se com outros horizontes culturais, modos de pensar, hábitos e paradigmas a serem considerados, não desorienta, mas enriquece”.

Desde sempre, a missão de IpE é a livre convergência de Comunidades e Movimentos cristãos de diferentes Igrejas, capazes de criar relacionamentos de comunhão no respeito das diversidades. Uma resposta efetiva à constante exigência de uma cultura da reciprocidade e da fraternidade.

Desde algum tempo, os Comitês nacionais, grupos de trabalho que se formaram espontaneamente no decorrer dos anos, dão a própria contribuição compartilhando os passos dados.

Na República Tcheca, no dia 9 de maio de 20121, Festa da Europa, alguns membros do IpE dirigiram-se à Montanha Branca, nos arredores de Praga. Depois de 400 anos, no lugar onde houve enfrentamentos durante a Guerra dos Trinta Anos (1618-1648), católicos e protestantes admitiram publicamente as próprias culpas, com o perdão recíproco e o vivo desejo de colocarem-se à serviço da sociedade boêmia, atualmente não crente, em sua grande parte.

Na Alemanha, o Comitê nacional proclamou, no final de 2020, um ano dedicado ao encontro e à amizade. Desde janeiro deste ano foi criada uma “sala virtual” onde, mensamente, os vários participantes são convidados a reencontrarem-se, e alternadamente, é entrevistado um representante de uma das Comunidades, a fim de conhecerem-se melhor e compartilhar experiências.

A Sérvia contribuiu contando sobre a ação de um grupo de Movimentos, de diversos países, comprometidos no apoio aos refugiados: “Em Belgrado estamos frequentemente em contato com as pessoas nos campos de refugiados. Depois de terem pedido asilo na Hungria, junto à Embaixada de Belgrado, normalmente há uma longa espera. Procuramos oferecer-lhes alimentos ou hospedagem, e nascem lindas amizades que continuam inclusive na oração comum e nas visitas mútuas”.

https://www.together4europe.org/il-green-pass-invisibile/

Maria Grazia Berretta

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.