Na sua primeira carta, João afirma: “…pois quem não ama o seu irmão, a quem vê, não poderá amar a Deus, a quem não vê” (1Gv 4,20). Nesta passagem Chiara Lubich reflete sobre o modo pelo qual o amor para com cada próximo, irmão ou irmã, que encontramos é uma etapa necessária para caminhar em direção a Deus, sentir a união com Ele.

(…) Existe, porém, um sistema tipicamente nosso para termos a certeza de caminhar por uma estrada reta, que certamente nos leva à meta: a Deus.

Ela tem uma passagem necessária que se chama: o irmão. Lancemo-nos a amar cada irmão que encontrarmos durante o dia.

Acendamos no nosso coração o desejo máximo e digno de louvor que certamente é o que Deus quer: o desejo de amar cada próximo, fazendo-nos um com ele em tudo, com um amor desinteressado e sem limites.

(…) O amor irá reavivar os relacionamentos e as pessoas, e não permitirá que surjam desejos egoístas, mas, pelo contrário, será o melhor antídoto contra eles.

(…) Podemos preparar como presente para Jesus, o nosso fruto, rico, saboroso, e o nosso coração ardente, consumido pelo amor.

Então, o lema que nos recordará este propósito poderá ser: ir a Deus por meio do irmão!

Chiara Lubich

(Chiara Lubich, Conversazioni, Città Nuova, 2019, pag. 100)

8 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.