O amor familiar: vocação e caminho para a santidade. É esse o tema do X Encontro Mundial das Famílias, que está acontecendo em Roma de 22 a 26 de junho de 2022. A voz e o testemunho de alguns casais de “Famílias Novas”, setor do Movimento dos Focolares, que participarão do evento.

Um momento de festa e de partilha para ser abraçados pela Igreja, “família de famílias” (AL 87) e para se sentir integrante desse povo que está a caminho. De 22 a 26 de junho de 2022, Roma recebe o X Encontro Mundial das Famílias, evento que nasceu por vontade de São João Paulo II em 1994 e que se repete a cada três anos desde então sempre em lugares diferentes. O encontro, como anunciado pelo Papa Francisco em uma mensagem por vídeo, acontecerá no formato “multicêntrico e difuso”, respondendo as exigências ditadas pela pandemia e o desejo de muitos de participar. No mundo, de fato, haverá várias famílias seguindo o evento nas suas respectivas dioceses, já outras terão a alegria de viver esse momento presencialmente.

“É a terceira vez que participamos do Encontro Mundial das Famílias, e toda vez levamos para casa uma verdadeira mala de dons.”

Dori e Istvan Mezaros, Serbia.

Istavan e Dori Mezaros (Sérvia), são os pontos de referência para o Movimento Famílias Novas da Europa Oriental e falam sobre a importância e a alegria de estar presentes nesse evento. “Em 2018, em Dublin (Irlanda), descobrimos o tesouro maravilhoso que o Santo Padre nos deu com a exortação apostólica ‘Amoris Laetitia’, um verdadeiro guia para se usar cotidianamente no âmbito familiar. Hoje somos gratos a Deus por poder estar em Roma, seja para viver um momento de alegria plena, mas também para compartilhar com o Santo Padre e com a Igreja universal a dificuldade que a família vive. Queremos entender como nos aproximar das famílias de maneira nova, como acompanhá-las, sobretudo se estiverem feridas.”

O tema escolhido pelo Papa Francisco para este X Encontro Mundial das Famílias é “O amor familiar: vocação e caminho para a santidade”. Uma vocação colocada à prova hoje mais do que nunca.

João Francisco e Soraia Giovàni, Brasil

“No nosso país, a Argentina, quando uma família nasce, a primeira dificuldade é encontrar estabilidade econômica; a grande pobreza, a falta de trabalho e a inflação não ajudam os jovens nessa busca”, contam Liliana e Ricardo Galli, que foram por muitos anos animadores e responsáveis em vários níveis de Famílias Novas na Argentina, e hoje conduzem o curso internacional para famílias na mariápolis permanente internacional do Movimento dos Focolares em Loppiano (Itália). “Além disso”, continuam, “quando a família se alarga, os filhos chegam e crescem, não se pode contar com alguma ajuda institucional que acompanhe os cônjuges nessa etapa, sem esquecer que o forte secularismo, fruto do individualismo e do consumismo, não ajuda os jovens a ter um planejamento. O desafio, portanto, é sustentar a família, vê-la como projeto comunitário e cuidar da comunidade. Viver em rede com outras famílias ajuda a manter vivo esse amor familiar e a não se sentir sozinhos”.

Ricardo e Liliana Galli, Argentina

“O amor vivido nas famílias é uma força permanente para a vida da Igreja”, lê-se no “Amoris Leatitia” (AL 88) e para poder ser alimento é necessário fazer com que essa união seja sustentada, como contam João e Soraia Giovani, responsáveis de Famílias Novas por muitos anos no Brasil. “Desde que nos casamos, a fé nos guiou no relacionamento com Deus e entre nós. Para nós, o matrimônio é um caminho para a santidade que construímos todos os dias. Acolhemos os nossos filhos com muita alegria e, juntamente com outras famílias, procuramos colocar em prática as palavras do Evangelho, crescendo na fé. É claro que não faltaram desafios durante esses 25 anos de casamento e algumas vezes não tínhamos respostas, mas a vontade de ser fiéis ao amor de Deus foi um farol. Aprendemos sempre a nos dizer tudo e nos momentos de dificuldade soubemos pedir ajuda. Duas palavras do Evangelho nos guiam até hoje: ‘O Senhor opera maravilhas em quem é fiel’ e ‘Todo o que nele crer não será confundido’. A graça do matrimônio é estupenda e agradecemos a Deus pela nossa vida juntos.”

Maria Grazia Berretta

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.