Aos adolescentes, Chiara Lubich sempre falou claramente. Foi assim quando, no Supercongresso de 1992 no Palaghiaccio em Marino (Itália), eles lhe perguntaram o que deveriam fazer para limitar o consumismo.

É preciso viver e difundir a “cultura do dar”, do dar. Um conselho que eu dou a vocês, se é o que desejam, é este. No início do ano, cada um de vocês deve recolher todas as coisas supérfluas que têm para colocar em comum. Talvez sejam poucas, mas alguma coisa vocês têm: um livro, um brinquedo, um lápis, uma mochila que deixaram de usar, uma roupa, alguma coisa, coisas que possuem a mais, que é supérfluo. Recolham tudo e levem para os seus centros: Centros do Movimento Juvenil pela unidade ou Centros gen.

E vocês, que são muito criativos e que têm muitas e muitas iniciativas, como feirinhas, rifas, ou com o que inventarem, procurem fazer com todos estes objetos recolhidos alguma atividade para recolher dinheiro para dar aos adolescentes pobres.

(…) Vocês devem conservar para vocês, lembrem-se, somente o necessário, tal como fazem as plantas que absorvem da terra somente a água, os sais minerais e os outros elementos que lhes são necessários, nada mais. Portanto cada um de nós deve ter somente o que lhe serve. O restante deve ser dado, colocado em comum com os outros.

Naturalmente vocês vão experimentar que dando, receberão muitas coisas. Esta é a experiência do nosso Movimento em todas as latitudes. Receberão por quê? Porque o Evangelho diz: “Dai – eis a cultura do dar – e vos será dado” e continua: “e uma boa medida, calcada, cheia e transbordante vos será derramada no regaço” (Lc 6, 38), (como se tivesse um avental cheio de trigo). Isto é, muitas coisas retornam de uma parte, da outra, por meio de uma pessoa, de um adolescente, do professor, da mãe. Vocês recebem muitas coisas.

(…) Portanto, vocês devem difundir esta cultura do dar. Então, para a edificação comum, contem as suas experiências, como já fazem. Por exemplo, que vocês deram uma coisa e receberam outra… Contém as suas experiências, todos episódios evangélicos que viveram, as promessas do Evangelho que se realizam realmente. Contem, ou escrevam, ou ilustrem com desenhos, ou com vídeos, videoclipes, ou nos telejornais que vocês já preparam para os adolescentes. Assim irão formando em todos a mentalidade, a mentalidade da “cultura do dar”.

Chiara Lubich

(Lubich, Ch. “Ai Gen 3, 1981 – 1995, Città Nuova, 2006, pag. 66-68)

No comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.