Não esqueçamos as vítimas do Tsunami

 

As adoções à distância e os projetos de reconstrução e sustento econômico caminham juntos para garantir tanto um socorro imediato, que responda à situação de emergência, quanto um sustentamento destinado a retomada do desenvolvimento econômico e social. Graças aos nossos amigos muçulmanos, na Indonésia, abriram-se alguns caminhos para favorecer a ajuda à população.

 

As primeiras intervenções

Até o dia 1º de fevereiro a AMU recebeu 280 mil euros, provenientes de todo o mundo, até mesmo das regiões mais pobres. Desta forma deu-se início a alguns projetos na Índia, Indonésia e Tailândia.

Índia

Em Madras, no estado de Tamil Nadu, uma jovem com seu irmão e amigos, organizou uma rede de ajuda às pessoas do lugar. Com o dinheiro que recebeu está mantendo 14 crianças abaixo de 2 anos, pessoas adultas doentes, e comprou remédios para um hospital das irmãs franciscanas de Madras, agora propõe a compra de redes de pesca para 333 famílias de Nargecoil e material escolar para 250 crianças.

Assim ela escreveu: “Em Nargecoil existem famílias que como trabalho, confeccionam redes para pesca. mas perderam quase tudo. Com a nossa ajuda poderiam retomar este trabalho. Cada família de pescadores necessita uma rede de 5 quilos. Os pescadores vivem em uma vila em Kovalan, no Tamil Nadu, distante cerca de uma hora de Madras. Dessa forma poderíamos ajudar as famílias que produzem as redes e aquelas que precisam delas para trabalhar. Os pescadores são católicos, hindus e muçulmanos. O bispo de Kovalam já interveio, mas restaram ainda 333 famílias sem nenhuma ajuda. O cardiologista de Madras doou uma grande embarcação e, se as famílias tiverem as redes, poderão usá-la juntos.

Estas famílias não desejam tanto receber o prato de arroz que diariamente é distribuído pelo governo, uma ração pela qual devem percorrer longas distâncias, mas ficam felizes se recebem uma ajuda para poder recomeçar a trabalhar. Ontem meu irmão e um amigo foram ver como está a situação, e transportar as primeiras redes de Nargecoil a Kovalan (700 quilômetros). Encontraram transporte grátis: os barcos de transporte de gasolina e os caminhões do gás. Para o trabalho das redes é necessário um total de cerca de 7.200 euros».

«Existem duas escolas católicas. As crianças estão traumatizadas e é preciso ajudá-las o mais breve possível a voltar à escola, para retomar a vida normal. Já conseguimos os aventais e sapatos, uma pequena lousa e cadernos… faltam ainda 250 crianças. O total destas despesas é de cerca de mil euros».

Indonésia

Entre os vários projetos iniciamos com o sustento alimentar e escolar para 400 crianças de Aceh, Nias e refugiados em Medan, enquanto se aguarda a regularização das adoções à distância; colaboramos com as atividades de E., muçulmana, que leva ajudas a um campo de refugiados muçulmanos, em Aceh;

iniciou o primeiro “campo de trabalho”, em Sumatra: de 5 a 13 de fevereiro, dias do feriado do Ano Novo chinês, dois grupos de jovens de Singapura viajaram para ajudar as pessoas atingidas pelo Tsunami, com o seu próprio trabalho, e a soma enviada pela AMU. Estes jovens prestarão o seu serviço em Aceh, guiados por um pastor metodista, e em Nias, por um sacerdote católico.

Para sustentar essas necessidades foi já assegurado um primeiro financiamento de 36 mil euros.

Tailândia

Decidimos colaborar com o projeto da Conferência Episcopal tailandesa no sentido de recuperar a economia local através da compra de barcos para os pescadores atingidos pelo tsunami. Para este fim foram destinados 50 mil euros.

Comments are disabled.