Burundi: um sofrimento que gera amor


hope (350 x 249)Jean Paul frequenta o último ano da faculdade de engenharia civil e há alguns anos conheceu a espiritualidade da unidade. O Burundi, como muitos sabem, atravessa uma difícil situação política, às vésperas das próximas eleições. O empasse político provocou não poucas controvérsias, com manifestações e confrontos. Houve quem perdeu a vida. E foi neste contexto de grande instabilidade e sofrimento que Jean Paul, voltando para casa a pé, com um amigo, porque não haviam encontrado um meio público, deparou-se com um novo e inesperado rosto de Jesus Abandonado. Quem escreve é Marcellus, com toda a comunidade dos Focolares do Burundi e Ruanda.

«É a noite do dia 2 de maio quando os dois jovens são atacados por um grupo de bandidos. Batem neles brutalmente, até perderem a consciência. Alguns policiais os encontram jogados em um bueiro e são levados ao hospital. O amigo tem lesões leves, mas o estado de Jean Paul é grave: uma fratura na coluna vertebral com paralisia dos membros inferiores. Não obstante a gravidade de seu estado Jean Paul sorri sempre, e espera ficar curado. Confia-se a Deus e a Chiara [Lubich]. “Se ainda estou vivo já é um milagre seu”, afirma.

Em pouco tempo a notícia do que havia acontecido a Jean Paul chega a toda a comunidade que, além de rezar por ele, se mobiliza para conseguir o dinheiro necessário e uma ambulância que deve levá-lo para Ruanda, onde poderá ter os tratamentos adequados. Com um enfermeiro e Séverin, um jovem do seu grupo gen, viaja para Kigali (Ruanda) no dia 12 de maio.

A corrente de amor e de orações por Jean Paul se alarga, envolvendo toda a família do Movimento dos Focolares, em Ruanda e no mundo, especialmente os gen. Em Kigali, Jean Paul e Séverin dão um testemunho de forte amor recíproco.

Todos no hospital surpreendem-se que as visitas a esse jovem sejam mais numerosas que as de todos os outros doentes. E se maravilham pelo fato que Jean Paul e Séverin não são irmãos, não vem do mesmo povoado e não são nem da mesma etnia. Eles explicam a todos que o que os move é outra coisa: a espiritualidade da unidade, baseada no amor mútuo pedido por Jesus.

Após vários exames médicos, Jean Paul é operado, na coluna e no tórax, dia 1º de junho, no hospital “Roi Fayçal”. O custo do hospital é muito alto, mas não falta a intervenção de Deus, com a sua providência. Jean Paul, que jamais perde a coragem, vê nessa experiência um verdadeiro milagre.

A intervenção cirúrgica corre bem e isso é um grande encorajamento para todos. Jean Paul é transferido a outro departamento onde inicia a fisioterapia, acompanhado de perto pelo médico e a equipe que o operou. A sua saúde dá sinais de recuperação inacreditáveis. Recomeça a sentir fome, as necessidade fisiológicas, a dor, a sensibilidade nos pés. Agora pode sair da cama e girar pelo hospital numa cadeira de rodas. Afirma que se não fosse pelo amor dessa família alargada não estaria mais vivo.

Jean Paul é muito grato a toda a comunidade dos Focolares em Ruanda, aos gen do mundo inteiro, aos Centros Gen internacionais, e a todos os que fizeram chegar até ele ajudas em dinheiro e em orações. Agora brota do nosso coração um imenso agradecimento a Deus por ter-nos dado a possibilidade de viver essa forte experiência, que suscitou atenção, comunhão e amor verdadeiro entre o seus filhos, um testemunho forte de que o amor vence tudo».

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *