Chiara Lubich: “A família é o futuro”

 
Por ocasião do evento na Mariápolis permanente de Loppiano (de 10 a 12 de março), que comemorará os nove anos da morte de Chiara Lubich e os 50 anos do Movimento Famílias Novas, publicamos alguns trechos do discurso da fundadora dos Focolares, proferido em Lucerna (Suíça) em 1999

20170304-a[…] Jesus disse: «Onde dois ou três estão unidos no meu nome – ou seja, no meu amor –, eu estou no meio deles» É uma esplêndida possibilidade oferecida também à família: tornar-se lugar da presença de Deus.

Para uma família que vive assim, nada é indiferente, daquilo que acontece ao seu redor. Sendo simplesmente aquilo que é, ela tem a capacidade de testemunhar, anunciar, sanar o tecido social ao seu redor, porque a vida fala e opera por si só. Sei por experiência que a família sabe abrir casa e coração para as urgências e os as urgências e as urgências e os ddramas que invadem a sociedade, e amenizar a sua solidão e marginalização. Ela sabe até mesmo concretizar e organizar a solidariedade em vasta escala, com ações eficazes que influenciam as instituições; impedir a aprovação de leis e disposições errôneas, orientar os políticos. Pela presença ativa dos seus membros nos vários setores da sociedade, a família abre um diálogo com as instituições, sabe encontrar os meios para atender às necessidades concretas, criar a consciência e as condições para adequadas políticas familiares e para formar correntes de opiniões fundadas sobre valores.

Creio que para o mundo não existe nada mais lindo do que uma família assim. Por quê, perguntemo-nos, o que a humanidade busca? A felicidade. E onde a procura? No amor, na beleza. E para obtê-la está disposta a qualquer coisa. Lá, naquelas famílias, existe a plenitude do amor humano e a beleza do amor sobrenatural.

Eu conheço famílias assim e são realmente maravilhosas! Elas exercem uma grande atração sobre todos. Aparentemente parecem famílias como as outras, mas escondem um segredo, um segredo de amor. A dor amada as une a Cristo que mora nos seus lares, atraído pelo amor mútuo e, com estas famílias, ele está transformando o mundo.

Quis partilhar com vocês estas reflexões que tirei do profundo do meu coração e da experiência de muitas famílias. Gostaria de despertar em todos nós um compromisso concreto de ação em todas as formas e de todos os modos possíveis para o verdadeiro bem da família. É extremamente importante a saúde da primeira célula da sociedade para o destino de toda a humanidade.

“Salvar a família – escreveu o grande escritor católico, Igino Giordani – é salvar a civilização. O Estado é feito de famílias; se estas decaem, também aquele vacila”. E disse ainda: «Os esposos se tornam colaboradores de Deus dando à humanidade vida e amor. […] Amor que da família se expande para a profissão, para a cidade, para a nação, para a humanidade. É uma distribuição em círculos como uma onda que se propaga até o infinito. Há vinte séculos arde uma inquietude revolucionária, acesa pelo Evangelho, e requer amor”.

Chiara Lubich

Veja o vídeo completo

Regras(500)

 

Veja também