Margaret Karram: volvamos a poner en el centro la reconciliación y la oración

Margaret Karram: volvamos a poner en el centro la reconciliación y la oración
  • Versión 1.0.0
  • Descargar 0
  • Tamaño del archivo 0.00 KB
  • Recuento de archivos 0
  • Fecha de creación 14 mayo 2021
  • Última actualización 11 junio 2021
  • Descargar

Ante la escalada de violencia en Tierra Santa, en Colombia, en Myanmar y en varios países africanos, la presidenta de los Focolares hace un llamamiento a las comunidades del Movimiento en todo el mundo para que pongan en el centro de la vida y de la acción el diálogo y la oración, caminos factibles para todos hacia la verdadera paz.

No podemos dejar de escuchar profundamente el grito de dolor que llega en estos días desde muchas partes del mundo, porque la paz vuelve a estar en grave peligro.

Me refiero a las protestas que han desembocado en violencia en varias ciudades de Colombia que van adelante desde hace varios días; a la gente de Myanmar que lleva meses sufriendo y en donde aún no hay destellos de paz y libertad; de varios países y regiones africanas que por diferentes motivos se agitan con una violencia que parece no tener fin.

¿Y qué decirles de la situación que ha vuelto a estallar en Jerusalén, en Haifa, en la Franja de Gaza y en  muchas otras ciudades de la Tierra Santa en estos días?

Es una situación que vivo realmente en mi piel; la noticia de los bombardeos, de las muertes que aumentan cada día reaviva un dolor inmenso en mi corazón, también porque esta es la tierra en donde nací y en la que he crecido.

Quiero decirles a todos ustedes que viven en primera persona estas situaciones de violencia, arriesgando muchas veces su vida, que ¡estoy con ustedes más que nunca! Ofrezco y rezo todos los días para que cesen los bombardeos y la violencia entre los diferentes grupos, para que se salven las vidas humanas y para que la paz vuelva a ser el bien supremo para cada persona, para cada pueblo y para cada gobierno.

Esta tierra con todas sus heridas profundas pero también son sus grandes riquezas que son fruto de la multiplicidad de pueblos que la habitan ha grabado en mi alma la certeza de que solo el diálogo, vivido a veces incluso de manera heroica, construye la verdadera paz en todos los lugares del mundo donde falta. Lo que siento hoy profundamente es invitar a todos a redescubrir que somos todos hermanos, hijos del mismo Padre, sin dejarnos llevar por el odio o por la tentación de ver solo nuestra parte.

Nos comprometemos juntos a volver a poner la reconciliación y el diálogo en el centro de nuestro pensamiento y de nuestra vida, de la vida de nuestras comunidades, de nuestros pueblos. Un diálogo con todos, sin excluir a nadie y que implemente políticas justas, que acojan y respeten las diversidades.

Sin embargo, puede haber situaciones tan desesperadas y extremas que parece imposible encontrar una solución, pero lo hemos experimentado muchas veces: el amor siempre encuentra vías de acceso al corazón del otro. En este sentido me gustaría compartir con ustedes un escrito de Chiara Lubich que me ha dado siempre esperanza y valor:

“Pero si los hombres aceptasen el sufrimiento por amor, el sufrimiento que requiere amor, este se convertiría en el arma más potente para dar a la humanidad su dignidad más alta: la de sentirse no un conjunto de pueblos uno junto al otro, a menudo en lucha entre ellos, sino un solo pueblo, una familia”.[1]

¡Mantengamos viva la esperanza! Con el amor recíproco renovado entre todos, intensifiquemos la oración por los que sufren, por los muertos, por los que no tienen la certeza del mañana. Pero sobre todo roguemos a Dios que nos conceda el mayor bien para toda la humanidad: el don de una paz justa y duradera.

Margaret Karram, Presidenta del Movimiento de los Focolares

Aquí puede leer el texto en PDF

[1]Chiara Lubich, La doctrina espiritual, Ed. Ciudad Nueva Buenos Aires, 2005, pág. 55


27 Comments

  • Obrigado Margareth. Estamos unidos . Sentimos o mesmo. A angustia de ver irmãos, filhos de Deus, matando-se por interesses individuais de grupos políticos e econômicos.

  • Estamos unidos no sentimento por esta dura realidade de conflitos entre povos, que morrem pessoas. Tudo pelo poder.

  • Querida Margaret. Gracias por tu comunicado, expresión de amor en respuesta al dolor de la humanidad, la injusticia y el sinsentido. Renuevo con todas mis fuerzas el compromiso del diálogo profundo y sereno, el amor recíproco y vivir por la dignidad y fraternidad universal. Me uno contigo , las Religiones por La Paz y tantas personas q, a pesar de sufrir directa e indirectamente la violencia, oran al Padre por la paz y el bien común.
    Unidos en la oración

  • Sono fortemente triste e abbraccio virtualmente tutti i sofferenti presenti in questa terra che non trova pace. Margaret grazie per il messaggio che hai mandato. Questo ci fa essere tutti uno. Abbracciamo forte forte G. A. è affidiamo a Gesù i nostri dolori perché torni al più presto la pace. Madre di Dio e Madre nostra intercedi presso il Padre perché invii la luce pura della Spirito Santo ai responsabili perché facciano un passo indietro. 1 G.

  • Obrigado Margaret!
    Vivemos junto contigo e unimo-nos em oração pela paz em cada lugar onde ela está ameaçada. De modo especial por todas as pessoas sofrem as consequências desse e de tantos outros males causados pela falta de amor e reconhecer que somos «Tutti fratelli», todos irmãos.

  • Dear Margaret
    United more than ever with Jesus in our midst. …offering and praying for peace for all in this most painful moment, truly JF as you wrote…
    Asking our Lady, the Mother of the Church, the Mother of us all to intervene in the hearts of each one. ..so they know fraternal love and forgiveness is the only way to rebuild the brokenness in and around us.
    Always one
    Maria
    Welwyn garden city

  • Margaret mi unisco alla tue preghiere, insieme a tutta l’Opera e gli uomini di buona volontà, chiedendo con fede rinnovata la pace.
    Rinnovo il mio impegno di viverla, nel mio piccolo, dove Dio mi vuole.

  • Uno-me a Margareth e a todos e todas da Obra no mundo inteiro com orações e oferecimentos, certa de que Deus, na sua infinita bondade e misericórdia ouvirá as nossas preces.

  • Querida Margaret,
    Sinto muito que a primeira vez que escrevo a você seja neste quadro tão duro, sofrido que vive a humanidade. Junto me a você e a todos na busca da paz pelo diálogo e sobretudo pela oração potente.

  • Fantástico . Margaret resumiu o momento que vivemos e a nossa missão como cristãos e filhos de Chiara. » Pode haver situações tão desesperadoras e extremas em que parece impossível encontrar uma solução, mas já experimentamos muitas vezes: o amor sempre encontra um caminho para chegar ao coração do outro».

  • Grazie Margaret, siamo tutti li sotto l’ombra di tutti questi disaggi le tue parole ci portanno conforto e speranza per la fraternità interreligiosa costruita durante l’Aïd Firt qui nel Focolare di Marsiglia

  • Estou unida a todos pelo chamado de nossa cara Margaret em oração e amor concreto junto a cada irmão pela paz, a verdade, a Justiça e a misericórdia, todas expressões de nosso Deus Amor! Passo momentos difíceis perdi minha mãe e um neto de 3 anos tragicamente, a moeda que tenho a oferecer junto de meu filho e sua família.

  • Thank you, dear Margaret, for this encouraging message, choosing Chiara’s reflection of what I can do in my little world. I am more emboldened to try to live well this IDEAL which is really the only answer to the world’s sufferings. UNO always. nilda salud from Shorewood, Wisconsin, USA.

  • Carissima Margaret, grazie per rimetterci in cuore la scelta di Gesù Abbandonato e nel saperLo riconoscere essere uniti nel cercare di costruire rapporti di Pace lì dove siamo.
    Chiediamo a Maria le Grazie per tutti i familiari delle vittime e per tutti i sofferenti a causa di questi conflitti

  • Preghiamo la Regina della pace perché conceda la pace alla sua amata terra, la Terra Santa, dovunque c’è guerra o situazione di ingiustizia. Siamo 1 con te, Margaret.

  • Carissima Margareth accolgo con tutto il cuore l’invito che ci rivolgi a pregare per la pace. In questo momento così tragico soltanto la preghiera in unità può risolvere.

    • Margaret você está nos transmitindo o desejo de Deus para cada um de nós. Nas suas palavras encontro forças para recomeçar a ser um construtor da Paz, se cada um realizar a sua parte, dialogando e orando, aos poucos mundo será contaminado pelo Vírus da Fraternidade Universal. Conte sempre comigo.

  • Grazie Margaret. Ci uniamo in questa preghiera potente all’Eterno Padre in nome di Gesù «che ci conceda il bene più grande per tutta l’umanità: il dono di una pace giusta e duratura».

  • Grazie mille! Il mio cuore batte col tuo Margaret, col nostro popolo lì. Si prehgjiamo con quella fede che sposta le montagne. Ogni attimo per la pace, per la nostra FAMIGLIA!!! Tersa

  • Grazie Margaret, faccio mio il tuo invito a cotruire rapporti di fraternità nel mondo in cui vivo. Uno con la tua preoccupazione e dolore. Emanuele Colombo dal Chile

  • A sua dor também é nossa Margareth. Desde que começaram os conflitos, sinto no meu coração de rezar por cada irmão. Meu Deus, uma Terra, que é Santa, que estava sob a paz, sendo tentada a retomar uma guerra civil!
    Tudo porque o amor não é amado.
    Acolhamos no nosso coração essa dor que também é dele.

  • «…Mas se mais homens aceitassem o sofrimento por amor, o sofrimento que exige amor, poderia se tornar a arma mais poderosa para dar à humanidade sua mais alta dignidade: a de sentir não tanto um conjunto de pessoas próximas umas das outras. ‘Outras, muitas vezes em conflito uns com os outros, mas apenas uma pessoa, uma família ”.
    Que o Senhor nos ajude a encarnar essas palavras que estão em plena sintonia com tudo que Chiara nos ensinou e viveu com seu mais potente amor a Jesus Abandonado. Gratidão infinita Margareth por todo amor que brota de tua alma, que nos impulsiona a dar passos firmes rumo ao que todos sejam um.

    • Obrigado Margarete por sua comunhão. Essa dor também é nossa, pois a dificuldade para o dialogo não acontece somente na terra que trouxe Jesus, como você recordou no texto. No entanto, isto me leva a perguntar, por que esse suceder de conflitos, justo na terra que acolheu o Principe da PAZ? E todo o meu coração se volta para o que propõe o Ideal, abrace e encontre esse Jesus na dor, no centro do absurdo. Concordo plenamente com o que disse, fazendo eco às palavras de Chiara, se um grupo de pessoas resolvem amar assim, surge o «Amor transformante». Precisamos acreditar nisso e ver sem barreira o outro diferente, um irmão, e acolher com atitudes, sobretudo na oração, ainda que isso não dispense amar na verdade e na caridade. Mas, o outro, já é irmão e, no coração, não vejo apenas a sua posição politica, ou mesmo sua debilidade moral. Essa atitude atrai o céu e a realidade pode mudar. É o que queremos viver juntos com você…

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *